Avó é condenada a 186 anos de prisão pelo estupro de quatro netos

Avó é condenada a 186 anos de prisão pelo estupro de quatro netos

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

A resposta penal foi a altura dos graves atos praticados por Luzinete Lemos de Abreu, 54 anos, condenada a 186 anos de reclusão, em regime inicial fechado, pelo estupro de quatro netos entre 1 e 6 anos. “O sistema de Justiça fez a sua parte, inclusive as crianças foram acompanhadas pelo Setor Psicossocial do Ministério Público, mas sabemos que os crimes intrafamiliares deixam marcar difíceis de serem superadas”, lamenta o promotor de Justiça Criminal que atuou no caso, Cláudio João Medeiros.

As investigações não conseguiram saber a data exata que os crimes foram cometidos, mas sabe-se que ocorreram antes de 9 de outubro de 2018 no Recanto das Emas. A avó cuidava dos netos enquanto a filha, mãe das crianças, saía para trabalhar. Umas das filhas da acusada, de 17 anos, desconfiou que Luzinete de Abreu estava lhe filmando nua. Para comprovar as suspeitas, procurou no celular da mãe as imagens e descobriu diversos vídeos e imagens dos sobrinhos. Após confirmar os abusos, ela contou para a irmã, mãe das vítimas.

A polícia foi acionada e recolheu o celular e o computador de Luzinete para análise. A perícia encontrou diversos arquivos que confirmaram os crimes. Além de produzir, fotografar, filmar e registrar cenas de sexo e pornografia envolvendo os quatro netos e a filha adolescente, ela manteve conjunção carnal com a criança mais velha, de 6 anos, e praticou atos libidinosos com as outras.

“A condenação demonstra que eventuais práticas de crimes envolvendo crianças, mesmo quando cometidos por seus familiares, serão punidos de maneira rigorosa”, completa o promotor de Justiça Cláudio João Medeiros, que mesmo atuando na área criminal e tendo contato com diversos crimes diariamente, ficou impressionado com tamanha crueldade envolvendo crianças de tão tenra idade. Em razão dos traumas sofridos, as crianças e a mãe se submetem, atualmente, a tratamento psicológico.

Com informações do MPDFT

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: