CGDF pede nulidade de aditivos e obras do Sol Nascente podem parar, diz Metrópoles

CGDF pede nulidade de aditivos e obras do Sol Nascente podem parar, diz Metrópoles
Brasília(DF), 28/08/2018 Infraestrutura precária e problemas no Sol nascente. Local: Sol nascente, Ceilândia. Foto: Igo Estrela/Metrópoles

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Após constatar em auditoria diversas irregularidades nos contratos firmados para a realização de obras no Sol Nascente em 2014, na gestão do petista Agnelo Queiroz, a Controladoria-Geral do Distrito Federal (CGDF) pediu a nulidade de aditivos assinados com as empreiteiras durante o governo de Rodrigo Rollemberg (PSB). Como os recursos utilizados são oriundos de financiamento da Caixa Econômica Federal, a medida ameaça a continuidade dos serviços. As informações são do site Metrópoles.

Segundo o Metrópoles, a análise feita pelo órgão de controle do próprio Governo do Distrito Federal (GDF), superfaturamento, má-fé, erros de projeto, entre outros problemas, causaram prejuízo de pelo menos R$ 8 milhões aos cofres públicos. As falhas foram apontadas em relatório divulgado pelo Metrópoles no mês passado.

O principal apontamento é mostra que a empresa responsável pelo projeto original, a Saint-Germain, considerou que o solo da região não necessitava de correções para receber as obras. Porém, a líder do consórcio vencedor da área, a Basevi, afirmou ter encontrado solo mole ou inservível e, por isso, conseguiu uma série de aditivos ao contrato inicial. Matéria completa do Metrópoles aqui.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: