Depósito irregular de entulho vira área de lazer em Sol Nascente e Pôr do Sol

Depósito irregular de entulho vira área de lazer em Sol Nascente e Pôr do Sol

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

De um amontoado de entulho à alegria da comunidade, um terreno de dois mil metros quadrados em Sol Nascente e Pôr do Sol virou área de lazer. Um espaço próximo à Chácara 121 foi revitalizado e dois campos de areia foram construídos para uso da população de uma das mais jovens regiões administrativas do Distrito Federal. A medida incentiva a prática de esportes e previne novos depósitos irregulares.

Com doação de areia pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), a Administração Regional do Sol Nascente e Pôr do Sol ficou responsável pela mão de obra com a própria estrutura, sem gastos extras. A ideia inicial era fazer um único campo, mas a comunidade pediu outro, menor, para recreação das crianças.

O administrador José Goudim Carneiro conta que o pedido surgiu na última vistoria para entrega da quadra de areia prevista para o local, no que logo foi atendido. Por semana era preciso retirar cerca de 20 caminhões de inservíveis do local.

“Ali era um grande depósito de lixo e entulho, e queríamos dar uma nova cara e destinação ao espaço, com oportunidade de lazer. Além de prevenir novos descartes irregulares que permitem a proliferação de doenças como as transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti“, lembra Goudim.

Dias melhores

Com o espaço limpo, pneus velhos foram usados para demarcar as áreas e pintados com materiais doados por empresários locais. “A cidade foi construída de trás para frente e temos pouca área para instalação de equipamentos públicos, então aproveitamos essas ocupações para fazer benfeitorias. A comunidade agradece e a natureza também”, pontua o administrador, lembrando que a intenção é estender a medida a outros espaços com descarte irregular.

Além de ter entulho retirado, local agora está livre do cheiro ruim | Foto: Joel Rodrigues / Agência Brasília

A aposentada Bernadete Andrade valoriza as ações na cidade e acredita que a iniciativa melhora a vida da população. Ela vive nas redondezas há cinco anos e conta que o problema com despejo irregular de lixo e entulho era constante.

LEIA TAMBÉM -   Homem é preso após estuprar filha de 12 anos, em Ceilândia

“O cheiro sempre foi ruim e a sujeira atraía muitos bichos. Agora, não. Além de estar limpo ainda posso levar meu neto para brincar quando acabar a quatentena [usada como medida de prevenção ao coronavírus]”, diz.

A avó de João Pedro, de cinco anos, espera que a vizinhança respeite a intervenção. “Só não pode voltar a jogar lixo. Foi tão difícil começar a vir melhoria para a gente… Tem que cuidar do que a gente consegue”, enfatiza a mulher de 64 anos.

*Com informações da Agência Brasília

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: