Operação prende membros da facção Comando Sol Nascente

Operação prende membros da facção Comando Sol Nascente

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

A Polícia Civil do Distrito Federal desencadeou na manhã desta terça-feira (16), a 3ª fase da Operação Horus, em conjunto com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MPDFT – GAECO. Essa ação objetivou desarticular uma organização criminosa que atua na grilagem de terras no Setor Habitacional Sol Nascente.

Nesta fase estão sendo cumpridos 17 mandados de prisão preventiva e sete mandados de busca e apreensão, todos em desfavor de integrantes de uma facção criminosa que atua no Setor Habitacional Sol Nascente autointitulada Comando Sol Nascente, suspeita de dar suporte aos grileiros de terras presos na fase anterior da Operação Horus, deflagrada em setembro de 2019.

O Comando Sol Nascente agia como o braço armado desses grileiros de terras, praticando ameaças e homicídios contra grileiros rivais e intimidando moradores, além de buscar o domínio do tráfico de drogas na região.

As investigações, que vêm sendo levadas desde o início pela Divisão de Repressão ao Crime Organizado – Draco/Cecor, começaram no ano de 2015 e remontam ao início da grilagem de terras na região, no ano de 2009. Nesse período – entre 2009 e 2015 – foram registradas 224 tentativas de homicídio; 205 homicídios consumados e 113 ocorrências de tráfico de drogas no Setor Habitacional Sol Nascente. Grande parte desses crimes foram praticados pelo grupo, por grupos rivais ou em decorrência de disputas por terras, tratando-se do período de atuação mais intensa da organização criminosa.

A partir de 2015, seus integrantes foram sendo paulatinamente presos, sobretudo por crimes de homicídio, esbulho possessório e tráfico de drogas, sendo completamente desarticulada a organização criminosa por meio da Operação Horus, com as duas primeiras fases no ano de 2019, em maio, quando sete policiais militares foram presos por darem suporte à organização criminosa, e no mês de setembro, ocasião em que foi efetuada a prisão dos 11 principais grileiros em atividade na região.

LEIA TAMBÉM -   Homem mata ex-esposa dentro de hospital em Ceilândia

No total, incluindo a ação de hoje, a Operação Horus tirou de circulação 35 envolvidos nos crimes apurados, por meio de cumprimento de mandados de prisão preventiva, bem como culminou no cumprimento de 34 mandados de busca e apreensão. Todos os suspeitos já foram denunciados pelo crime de organização criminosa pelo Gaeco/MPDFT, que atuou em conjunto com a Cecor/PCDF em todas as etapas da investigação.

*Com informações da PCDF

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: