Ceilandense Marílson dos Santos entra para o Hall da Fama da Maratona de Nova York

Ceilandense Marílson dos Santos entra para o Hall da Fama da Maratona de Nova York

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Hoje (31) promete ser um dia especial para o corredor brasileiro Marílson Gomes dos Santos, de 42 anos,que terá seu nome incluído no Hall da Fama da Maratona de Nova York, nos Estados Unidos. A cerimônia em homenagem a Marílson e a outros três indicados ao Hall da Fama será nesta quinta-feira, em uma cerimônia aberta no Central Park West. Também foram selecionados a entrar no hall a norueguesa Ingrid Kristiansen (campeã em 1989), e os norte-americanos Meb Keflezighi (campeão em 2009) e Mary Wittenberg (organizadora da maratona entre 2005 e 2015).    

O fundista Marílson dos Santos fez história no atletismo mundial em 2006 ao se tornar o primeiro atleta sul-americano a vencer a Maratona de Nova York, umas das mais populares e extensas provas de rua do mundo, com 42,2 Kms. Na época, o brasileiro quebrou as expectativas de analistas esportivos que apostavam no triunfo do queniano Paul Tergat, que já vencera a maratona novaiorquina em 2005, e acumulava na época cinco títulos na tradicional Corrida São Silvestre, em São Paulo (SP). A segunda vitória do brasileiro foi em 2008, com um tempo ainda menor: 2h08m44s.

Ao longo da carreira, que começou em Ceilândia, cidade satélite de Brasília, Marílson foi colecionando glórias: são cinco medalhas em Pan-Americanos, dois recordes sul-americanos – nos 5.000m (13m19s43), batido na Alemanha, em 2006 e, no ano seguinte, nos 10.000m (27m28s12) obtido na Bélgica – e três títulos na Corrida de São Silvestre (2003, 2005 e 2010).

No currículo, o fundista brasiliense exibe ainda as melhores marcas sul-americanas em provas de rua de 10Km (27m48s), 15km (42m15s) e na meia maratona (59m33s), todas conquistadas em Udine, na Itália, em 2007.  Marílson dos Santos também competiu nas maratonas olímpicas de Pequim (2008), Londres (2012) e Rio 2016. A melhor colocação foi a 5ª posição obtida na olimpíada de Londres. O maratonista resolveu se aposentar após participar dos jogos olímpicos no Rio de Janeiro, em  2016.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: