Centro de Iniciação Desportiva Paralímpico de Ceilândia brilha em Tóquio

Centro de Iniciação Desportiva Paralímpico de Ceilândia brilha em Tóquio

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Entre os arranha-céus de Tóquio e as milhares de pessoas que cruzam as avenidas apressadamente, é possível identificar dois brasileiros extasiados com tantas novidades eletrônicas e a estrutura da cidade, que conta com mais de 200 estações de metrô. A capital japonesa, que vai sediar os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos em 2020, recebe a dupla Marcelo Alves Conceição, atleta de Parabadminton, e a professora da Secretaria de Educação Cláudia Dionice, ambos do Centro de Iniciação Desportiva (CID) Paralímpico de Ceilândia. Desde o dia 7 de novembro eles participam do Japan Training Camp 2019.

“Viemos participar de um intercâmbio com a seleção japonesa, uma semana de treinamento. O Japan Training Camp também contou com a participação de atletas e professores do Peru e da Índia. Marcelo é o único atleta do DF no treinamento”, vibra Cláudia.

Além da participação no treinamento, nesta quarta (13), o atleta participa do Japan Parabadminton Internacional 2019 (Tokyo 2020 Paralympic Games Test Event). “O objetivo é conquistar a classificação para os Jogos Paralímpicos de Tóquio, no ano que vem. Vou competir nas categorias Simples (individual) e Duplas com meu parceiro Júlio Godoy, de São Paulo”, explica Marcelo.

UMA TRAJETÓRIA DE VITÓRIAS

Daniele Torres Souza, Dheyvid Bispo de Almeida e Marcelo Alves Conceição competiram na Dinamarca em companhia da professora e técnica Cláudia Dionice. Foto: Divulgação

Egresso da escola pública, Marcelo Alves Conceição precisou aprender a ressignificar a dor depois de um acidente de ônibus, quando ia para o trabalho. Com a coluna lesionada, o atleta não desanimou e encontrou no esporte um propósito para a vida. Em pouco tempo, já era o número 1 do ranking brasileiro de parabadminton.

A parceria com a professora Cláudia Dionice tem resultado em uma escalada de vitórias. A profissional que se dedica há 15 anos ao esporte paralímpico tem um histórico de atletas talentosos que contam com sua experiência. “Nasci para ser professora e me descobri no paraolímpico”, reitera Cláudia.

Em outubro, a dupla esteve na Dinamarca em companhia dos atletas Daniele Torres Souza e Dheyvid Bispo de Almeida, também participantes do CID Paralímpico de Ceilândia. Na ocasião, competiram no Torneio Victor Denmark Parabadminton. “É uma etapa do circuito internacional que faz parte do ciclo paraolímpico”, ressalta Cláudia, que atuou como técnica da equipe.

*Com informações da SEDF

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: