Começam a chegar as cestas verdes para o programa ‘Papa-DF’

Material é conferido: 78 toneladas de alimentos distribuídas de terça a sexta-feira | Foto: Divulgação/Seagri

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Em número de 63 mil, pacotes alimentícios adquiridos de produtores rurais serão distribuídos pelo GDF

Agência Brasília

A Secretaria de Agricultura do Distrito Federal (Seagri) recebeu, nesta quarta-feira (26), as primeiras 1,5 mil cestas verdes do Programa de Aquisição da Produção da Agricultura (Papa-DF).

Com o valor total de R$ 2 milhões, foram adquiridas de dez entidades representantes de produtores rurais mais de 63 mil cestas verdes, que serão entregues ao Banco de Alimentos de Brasília, à Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) e ao Programa Mesa Brasil, do Serviço Social do Comércio (Sesc).

Essas instituições distribuirão as cestas para entidades cadastradas que, por sua vez, vão repassar esses alimentos a famílias em vulnerabilidade social e nutricional. Serão entregues cerca de 6 mil cestas verdes por semana, totalizando 78 toneladas de alimentos distribuídas de terça a sexta-feira.

“É um momento de solidariedade”, destacou o secretário de Agricultura, Candido Teles. “Aqui está a força do governo, que aloca os recursos, e também a força do produtor rural, que produz esses alimentos destinados às famílias carentes. É um programa em que todos ganham, principalmente o homem do campo, que tem certeza de que vai ter a entrega do seu produto e receber os recursos justos”. O titular da Seagri também elogiou a qualidade dos produtos, lembrando que os produtores contam com assistência técnica da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do DF (Emater).

Grupos de alimentos

O subsecretário de Políticas Sociais Rurais, Abastecimento e Comercialização da Seagri, João Pires, destacou a abrangência do programa. “O Papa-DF possibilita a execução de verbas do GDF e de emendas parlamentares na compra da produção da agricultura familiar e distribuição direta às entidades filantrópicas”, explicou. “Isso, por sua vez, fortalece a agricultura familiar e atende as entidades com pessoas carentes que necessitam desse aporte na sua alimentação”.

LEIA TAMBÉM -   Fort Atacadista lança campanha “Meu Fort dá Sorte” com sorteio de 22 automóveis

Cada cesta verde é composta por no mínimo oito itens de diferentes grupos (tubérculos, verduras, frutas), com um mínimo de itens para cada grupo. A ideia de divisão em grupos é contemplar o que a agricultura familiar tem para entregar e que, ao mesmo tempo, seja relevante do ponto de vista nutricional.

“Assim, a cooperativa consegue trabalhar com preço e com sazonalidade e oferecer uma cesta que tenha uma variedade de nutrientes e vitaminas chegando às famílias”, detalhou a diretora de Segurança Alimentar e nutricional do Banco de Alimentos, Lidiane Pires. “Fazendo essa separação por grupos, a gente tem um produto de maior qualidade nutricional e consegue contemplar várias cadeias produtivas. É uma cesta de grande valor nutricional.”

*Com informações da Secretaria de Agricultura

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: