Distritais pedem reformulação total do falido sistema de transporte público

Levantamento inédito mostra o custo do transporte público no DF
Imagem reprodução

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Um dos temas que mais despertou interesse entre os deputados distritais, na sessão ordinária da Câmara Legislativa do Distrito federal desta quarta-feira (28), foi o valor dos subsídios pagos pelo GDF às empresas de ônibus. Reportagem publicada hoje pelo portal Metrópoles aponta que nos últimos cinco anos o governo pagou R$ 2,5 bilhões de subsídios, de acordo com o deputado Delmasso (PRB). Ao comentar o número, vários deputados distritais defenderam uma reformulação total do sistema de transporte e a realização de novas licitações.

O assunto foi levantado inicialmente pelo deputado Delmasso, que expressou indignação com o número. Segundo ele, este valor não inclui os valores das passagens pagas pelos usuários. Para ele, o dinheiro está sendo usado para financiar um sistema de transporte falido, enquanto poderia ser destinado à reforma e construção de escolas e hospitais. “A população paga uma passagem cara e o governo ainda tem que pagar subsídios. É um sistema falido”, lamentou, registrando que cidades como o Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG) e Maringá (PR) contam com sistemas integrados e eficientes.

Na opinião do parlamentar, é necessário “peitar os barões do transporte do DF e cobrar mudanças”. Ele também sugeriu que o governo siga a recomendação da CPI dos Transportes da última legislatura e refaça todas as licitações do sistema.

Já o deputado Agaciel Maia (PL) assinalou que o transporte público de Brasília é “como uma casa velha que não tem mais conserto”. Na opinião dele, o governo deveria derrubar o sistema todo e construir um novo modelo. “Não dá mais para remendar. Se gasta muito, se gasta mal e a população continua sofrendo com os ônibus”, acrescentou.

O deputado Leandro Grass (Rede) sugeriu uma discussão mais profunda sobre o tema, inclusive com a análise da possibilidade de criação de uma nova CPI dos Transportes.

De acordo com a deputada Arlete Sampaio (PT), tudo foi feito de maneira equivocada no sistema de transporte coletivo. “É preciso rever todo o sistema e fazer novas licitações. Tem que ter coragem para mexer neste vespeiro”, sugeriu.

Para o deputado Fábio Felix (PSOL), o número publicado de 2,5 bilhões pagos em subsídios é assustador e mostra que o sistema é muito caro e não consegue prestar um serviço efetivo para a população. O deputado ressaltou que o transporte coletivo é todo privatizado, numa referência àqueles que defendem a privatização do Metrô. Felix também destacou outros problemas: as empresas não cumprem o que está no contrato, falta transparência nos dados, não existem balancetes e dados sobre margens de lucros, explicações sobre o cálculo da tarifa técnica, e medições da utilização do passe livre ou das gratuidades das pessoas com deficiência. “A situação é grave e precisa de um grande choque de realidade”, finalizou.

Com informações da CLDF

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: