Escola de Ceilândia se engaja em ações sustentáveis

Foto: Divulgação/Adasa

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Guia ambiental elaborado por diversos órgãos inspira CEF 10 de Ceilândia

Agência Brasília

Os alunos do Centro de Ensino Fundamental (CEF) 10 de Ceilândia encontrarão novidades no retorno do calendário presencial. Além de lançar protocolos para evitar contaminações pela Covid-19, a direção da escola implantou melhorias estruturais, durante a quarentena, baseadas no guia Trilhas e Caminhos para a Sustentabilidade Ambiental nas Escolas do Distrito Federal

A publicação, criada por meio de um acordo de cooperação entre a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), aborda práticas ambientalmente responsáveis em instituições de ensino, além de métodos para sua aplicação.

Entre as iniciativas desenvolvidas no centro de ensino, estão a criação de um espaço de convivência com área verde para favorecer a infiltração da água durante o período chuvoso, reativação da horta comunitária, pintura das salas de aula feita de maneira a aproveitar mais a luz natural, instalação de um lavatório com torneira temporizada na entrada da escola, construção de rampa de acessibilidade e, por fim, pintura da fachada com imagens do Cerrado e mensagem sobre preservação ambiental.

Visita orientada

Em 2019, a instituição de ensino recebeu a equipe da Adasa para uma visita orientada que resultou em propostas de intervenções visando à promoção do uso racional da água, reúso, gestão de resíduos e otimização do consumo de energia elétrica na unidade. Os apontamentos levantados seguem as orientações sugeridas no guia de sustentabilidade.

Segundo o coordenador de programas especiais da Adasa, Miguel Sartori, as propostas levantadas após a visita são adaptadas à realidade de cada comunidade escolar e vão além das intervenções físicas. “Também buscamos orientar a escola com sugestões de atividades ecopedagógicas envolvendo alunos e a comunidade local”, conta.

LEIA TAMBÉM -   Estudar fazendo anotações à mão traz mais vantagens para o aprendizado

A visita da equipe da Adasa à unidade escolar ocorreu após a participação da professora Jaqueline Martins no curso Gestão Sustentável da Água e dos Resíduos Sólidos, promovido pela Subsecretaria de Formação Continuada de Profissionais de Educação (Eape), em parceria com a agência e outras instituições de cunho ambiental.

Conscientização

“O curso desperta no professor a consciência da importância das questões da conservação e da preservação ambiental”, explica a professora. “Após a apresentação do módulo da Adasa, procuramos o órgão para nos orientar quanto às práticas sustentáveis que poderíamos adotar e a implantação da temática na escola.”

Segundo a diretora do CEF 10, Flávia Hamid, a meta é transformar a escola em uma unidade de referência no desenvolvimento e disseminação de práticas ambientalmente sustentáveis. “Quando cheguei à escola, em 2018, notei que tínhamos muito concreto”, conta. “Aos poucos, começamos a trabalhar na horta voluntária, em ações de reciclagem e em projetos que tirassem os alunos de dentro da sala – como o Conhecendo a Floresta Nacional, quando visitamos uma das nascentes no Descoberto”.

Durante o Fórum Mundial da Água, realizado em Brasília em março de 2018, O CEF 10 foi escolhido para representar o DF na Vila Cidadã, com um projeto de captação e armazenamento de água da chuva. “Nessa época começamos a implementar as primeiras melhorias na unidade, como troca das janelas das salas para o aproveitamento da luz natural e instalação de torneiras econômicas nos banheiros”, lembra a diretora.

O guia Trilhas para a Sustentabilidade Ambiental nas Escolas do Distrito Federal pode ser acessado na biblioteca virtual localizada na  página do projeto Adasa na Escola. A publicação traz ainda indicações de leitura complementar para ser adotada em sala de aula.

LEIA TAMBÉM -   Universidade carioca disponibiliza na internet cartilhas sobre saúde mental na pandemia

Outras entidades que participaram da elaboração do Guia

  • Secretarias de Educação (SEE)
  • Secretaria de Meio Ambiente (Sema)
  • Instituto Brasília Ambiental (Ibram)
  • Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb)
  • Faculdade de Educação-Universidade de Brasília (FE/UnB)
  • Serviço de Limpeza Urbana (SLU)
  • Escola Técnica de Brasília (ETB)
  • Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), do Ministério do Meio Ambiente (MMA)
  • Instituto Federal de Brasília (IFB)
  • Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do DF (Sinepe-DF)
  • Movimento Nossa Brasília.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: