Escolas: pais temem segurança sanitária na volta às aulas na rede pública, diz pesquisa

Divulgação.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Em contrapartida, rede particular garante estar preparada para receber alunos

Agência Educa Mais Brasil

A volta às aulas presenciais nas escolas públicas ainda não está definida em muitas cidades do país, mas a insegurança de pais e alunos com o cumprimento dos protocolos de higiene foi registrada na quinta edição da pesquisa Datafolha “Educação não presencial na perspectiva dos estudantes e suas famílias”, encomendada pela Fundação Lemann, Itaú Social e Imaginable Futures.

De acordo com o estudo, quase metade (49%) dos pais de estudantes de escolas públicas municipais e estaduais não confia na capacidade da instituição de se adequar às normas de segurança sanitária para evitar o contágio da Covid-19 no retorno às aulas presenciais. Apenas 19% disseram que “confiam muito” na capacidade da escola neste quesito e 31% “confiam um pouco”.

Outro dado apresentado é em relação ao comportamento dos estudantes. Para 43% dos pais, os alunos não vão cumprir os protocolos de segurança nas escolas públicas.

Por outro lado, sete em cada dez entrevistados (69%) acreditam que se as escolas continuarem fechadas as crianças dos anos iniciais do ensino fundamental terão um atraso em seu processo de alfabetização e prejuízo no aprendizado.

A situação também não é bem vista pelos pais de estudantes adolescentes. Para 58% a percepção é a de que tenham problemas emocionais nos jovens por causa do isolamento.

A pesquisa ouviu pais ou responsáveis de alunos das redes públicas municipais e estaduais do Brasil, no período de 16 de novembro a 2 de dezembro de 2020. Da primeira edição até a mais recente, a pesquisa mostra um aumento na preocupação dos pais e desmotivação dos estudantes em relação à educação na pandemia.

LEIA TAMBÉM -   Tecnologia nas escolas é mais ofertada na rede particular, afirma Censo

Cerca de 58% dos pais ou responsáveis acreditam que os alunos do ensino médio correm o risco de desistir dos estudos.Em maio de 2020, 46% dos estudantes se diziam desmotivados. Em novembro, o percentual subiu para 55%.

Retorno na rede particular

Nas escolas particulares, onde o retorno está sendo gradual, a instituição Neo Gênesis Colégio e Curso é uma das que estão preparadas para receber os estudantes com toda a segurança exigida pelos protocolos de prevenção à Covid-19.

“Estamos seguindo todas as recomendações ditadas pelo governo. Tomamos todos os cuidados para não haver aglomeração, cuidados com a sinalização, disponibilização de álcool em gel, modificamos o bebedouro para facilitar que os alunos bebam água em garrafinhas individuais e vamos fechar algumas áreas da escola”, diz o diretor Phelipe Ferreira.

Segundo a advogada Elaine Pontes, que trabalha no Colégio Carrazzoni, neste ano foi quase que unânime o clamor dos pais e responsáveis pelas aulas presenciais.

Diante do contexto pandêmico, a rede particular de ensino tem se mostrado obediente aos protocolos de segurança para impedir a transmissão da Covid-19, sendo opção para pais ou responsáveis que desejam educação de qualidade e segura para os seus filhos.

Mesmo com as consequências trazidas pela pandemia, como perdas de empregos ou redução de salários, as bolsas de estudo para escolas têm sido a saída para quem procura o ensino privado, já que o benefício garante descontos nas mensalidades.

Veja mais:

LEIA TAMBÉM -   Fies 2021: número de vagas para financiamento será de 93 mil

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: