Ibaneis anuncia a construção de dois novos hospitais em Ceilândia

Câmara Legislativa comemora os 38 anos do Hospital de Ceilândia

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Ao entregar as obras do Hospital Materno Infantil (Hmib) na manhã desta quinta-feira (1), o governador Ibaneis Rocha anunciou que o GDF vai abrir mais 80 Unidades de Terapia Intensiva (UTI) no Distrito Federal, sendo 20 delas neonatais.

Ele também disse que o governo vai construir, em 2020, dois novos hospitais em Ceilândia: um com 380 leitos para diminuir a demanda do Hospital Regional de Ceilândia (HRC) e o outro materno infantil para descentralizar o atendimento do Hmib.

Segundo o governador, os hospitais de Planaltina e Sobradinho também serão ampliados. Em Ceilândia, a ideia é construir um hospital referência reproduzindo o modelo do Hospital de Santa Maria (HSM).

“Estamos adaptando, com algumas modernizações, a planta do HSM para ser mais rápido e ano que vem já começa a construção”, disse. “Na Ceilândia temos a maior população do DF, temos ali um bairro novo que é o Sol Nascente e o Pôr do Sol com uma população enorme. São 800 mil habitantes, e mais os que moram em Águas Lindas de Goiás que não tem um hospital regional e do Santo Antônio Descoberto onde o atendimento é muito ruim”, completa.

Ibaneis ressaltou que há anos não há reformas ou ampliação na capacidade de atendimento no HRC, que constantemente está superlotado. “Há muitos anos aquela população não tem o atendimento adequado Completamos todas as equipes da UPA de Ceilândia para aliviar o atendimento dentro do hospital, mas isso é um processo, feito pouco a pouco. Esperamos que a população sinta uma melhora, mas tenho certeza que não vai ser da noite para o dia”, disse.

Com a abertura de novas vagas de UTI, o governo pretende diminuir a contratação de leitos de terapia intensiva nos hospitais privados, o que, de acordo com Ibaneis, custa em torno de R$ 5 mil por dia. “Com a aquisição desses equipamentos, essa internação tem condições de custar entre R$ 1,8 mil e R$ 2 mil”, disse. “Assim, tirando esse pagamento dos privados e trazendo essas vagas para a rede pública, conseguimos dobrar a oferta. Temos condições de instalar, temos pessoal preparado e podemos melhorar o atendimento, não integralmente ainda”, completa. A Secretaria de Saúde vai abrir licitação para a locação de equipamentos e o governador espera que ela esteja concluída em 60 dias.

Método Canguru

Na manhã desta quinta-feira, Ibaneis Rocha também assinou ordem de serviço autorizando o início da prestação de serviços de manutenção predial em todas as unidades da rede pública de saúde, no valor de R$ 43 milhões. Ele autorizou, ainda, o início da reforma da Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal (Ucin) do Hmib, o que vai permitir a total implementação do Modelo Canguru, um projeto de atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso.

Uma área de 450 metros quadrados será totalmente remodelada: paredes, pisos, parte elétrica, hidráulica, banheiros, instalação de ar condicionado, rede de gás e adequação de toda a área física. A obra, que custará cerca de R$ 900 mil, será feita no antigo Centro Obstétrico, que está sem uso há cerca de 20 anos.

“A reforma é fundamental para que o Método Canguru, que já acontece aqui, esteja completamente adequado às normas do Ministério da Saúde, humanizando o ambiente e proporcionando um melhor cuidado com as mães e os bebês”, afirma o diretor do Hmib, Rodolfo Alves Paulo de Souza.

1 Comment

  • Avatar
    Adilson , 2 de agosto de 2019 @ 13:49

    MAIS DOIS HOSPITAIS PRA FICAR SEM MÉDICOS E PEDIATRIA FECHADA???? NAO SERIA MELHOR COLOCAR OS QUE TEM PRA FUNCIONAR NAO????

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: