Júri popular condena a 26 anos de prisão acusado de matar por desavença em Ceilândia

Júri popular condena a 26 anos de prisão acusado de matar por desavença em Ceilândia

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

O Tribunal do Júri de Ceilândia condenou, no dia 31/1, o réu Wendel de Oliveira a 26 anos e três meses de reclusão, em regime fechado, por ter matado, com disparos de arma de fogo, Wallas Eduardo da Silva Cardoso, e tentado matar outra vítima que conseguiu escapar.

De acordo com os autos, no dia 19.05.2018, em via pública de Ceilândia, Wendel efetuou disparos de arma de fogo contra duas pessoas, causando lesões em uma das vítimas e a morte da outra.

Segundo o Ministério Público do DF, o crime foi cometido por motivo fútil, pois Wendel atirou contra as vítimas em razão de uma desavença pretérita entre ele e Wallas. O réu valeu-se ainda, na execução do homicídio, de meio cruel, pois efetuou vários disparos contra o crânio da referida vítima.

Em votação secreta, o Conselho de Sentença reconheceu a responsabilidade criminal do acusado pelo homicídio qualificado por motivo fútil e emprego de meio cruel em relação a Wallas e pela tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil quanto a outra vítima.

Assim, atendendo à soberana decisão dos jurados, o juiz presidente do júri condenou Wendel de Oliveira como incurso nas sanções do artigo 121, § 2º, incisos II e III e art. 121, §2º, inciso II, c/c art. 14, inciso II, ambos do Código Penal. O réu não poderá recorrer em liberdade.

*Com informações do TJDFT

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: