Mulher que deu tapa na cara de educadora, em Ceilândia, terá que pedir desculpas em público

Mulher que deu tapa na cara de educadora, em Ceilândia, terá que pedir desculpas em público

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

A juíza substituta do 2° Juizado Especial Cível de Ceilândia homologou acordo de conciliação firmado entre uma professora da Secretaria de Educação do DF e uma mãe de uma estudante do Caic Bernardo Sayão, em Ceilândia. A professora voluntária da instituição teria sido agredida com um tapa no rosto pela mãe da criança.

Na audiência de conciliação realizada nesta terça-feira, 22/10, no Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania dos Juizados Especiais Cíveis de Ceilândia – CEJUSC/CEI, restou estabelecido entre as partes que a agressora deverá fazer uma retratação pública, textual, como pedido de desculpas pelo ocorrido. O texto deverá ser lido em voz alta para o público presente na escola, no dia marcado, e, em seguida, será fixado no mural do referido colégio pelo o período de sete dias corridos, a contar da data da apresentação.

A mãe da aluna, ainda deverá pagar à professora a quantia de R$ 1 mil, dividida em 10 parcelas fixas, iguais e sucessivas de R$ 100,00, a título de indenização.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: