“Pretos no Enem”: movimento reúne voluntários para pagar inscrição do Enem de candidatos negros

“Pretos no Enem”: movimento reúne voluntários para pagar inscrição do Enem de candidatos negros

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Em meio a protestos antirracistas em vários países nos últimos dias, no Brasil o movimento voluntário “Pretos no Enem” está reunindo pessoas que se disponibilizam a pagar a taxa de inscrição de pessoas negras no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020.

A iniciativa surgiu após a publicitária e podcasterLyara Vidal, de 24 anos, publicar em seu Twitter que pagaria a inscrição de dois candidatos, ao ver a notícia de que mais de 300 mil inscritos não haviam efetuado o pagamento de RS 85 até a data limite, que agora prorrogada para até amanhã, dia 10.

A atitude de Lyara inspirou o advogado Luan Alencar e mais 60 voluntários que cuidam de todas as etapas do “Pretos no Enem”. Até a manhã de ontem (8), mais de 20 mil voluntários já tinham se disponibilizado a pagar as inscrições. “O único critério é a confiança mútua. Se você se identifica como uma pessoa negra e não conseguiu pagar sua inscrição do Enem, basta entrar em contato com a gente e o pagamento será feito de acordo com a quantidade de voluntários que forem chegando”, explica Luan.

O grupo é responsável por unir a vontade das madrinhas e padrinhos – como é chamado quem se disponibiliza a pagar um ou mais boletos – aos estudantes que por algum motivo não conseguiram a isenção da taxa de inscrição.

O grupo “Pretos no Enem” atesta de forma criteriosa a veracidade dos boletos antes de encaminhar, por e-mail, às pessoas que se voluntariaram. “Não há transferência de dinheiro, taxa ou qualquer movimentação financeira. O que existe é a emissão do boleto de inscrição do Enem que checamos a autenticidade”, reforça Luan Alencar.

No perfil do Instagram do projeto, além de explicar como todo o movimento é tocado, há relatos de quem conseguiu ter a inscrição paga, como o da Maria, de 56 anos, que pretende através do Enem terminar a faculdade de Serviço Social. “Sou negra, professora aposentada por invalidez. Tentei a isenção e, por algum motivo, não consegui. Vocês podem me ajudar a realizar esse sonho de voltar para a faculdade e terminar o Serviço Social que não pude terminar há 25 anos atrás, mas sonho todos os dias com esse momento mágico”, comemora.

LEIA TAMBÉM -   Enem, profissões e carreira são temas de debate na Semana da Educação 2020

Como se tornar um padrinho ou madrinha do Pretos no Enem?

O grupo explica que é bastante simples. Basta preencher um formulário, clicando aqui, informar a quantidade de boletos que pretende pagar e outros dados. Feito isso, a equipe fará a ponte entre um candidato do Enem, enviando o boleto por e-mail após verificar a autenticidade do documento. Após efetuar o pagamento, o voluntário precisa enviar o comprovante para o “Pretos no Enem”.

Como ter um boleto pago?

Os inscritos no Enem que querem ajuda para o pagamento da inscrição precisam, apenas, enviar uma mensagem no perfil do Instagram do “Pretos no Enem” clicando aqui. Após o envio do boleto, o grupo fará o contato com um padrinho ou madrinha. Com o boleto pago, o contato com o inscrito será retomado para o envio do comprovante.

Fonte: Roberto Paim – Agência Educa Mais Brasil

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: