Projeto leva arte urbana para escolas públicas do DF

Projeto leva arte urbana para escolas públicas do DF

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

O projeto Arte Urbana nas Escolas se utiliza dessa importante expressão da arte urbana, para despertar em jovens em geral, o interesse em conhecer mais e aprender os diferentes elementos do hip hop que são: o grafite, o break dance, o MC/Rapper e o DJ (esses dois últimos compõem o estilo musical RAP), se inserindo na cadeia produtiva da cultura, também em atividades empreendedoras.

O Circuito de hip hop acontecerá em cinco escolas da rede pública de ensino do Distrito Federal, que possuam recursos para deficientes físicos, onde simultaneamente ocorrerão 3 workshops demonstrativos: um de rima, um de grafite, um de break, e ainda um show de 45min de duração com 01 rapper acompanhado de 1 crew (grupo de dançarinos de break), e uma roda de conversa de 30min de duração, por período em cada escola. Em cada um dos workshops, os instrutores reforçaram as temáticas do projeto: cultura de paz; combate à discriminação social, racial e bullying; empreendedorismo, e; protagonismo juvenil, além das técnicas que são tema de cada uma delas, e os alunos participaram dos workshops de acordo com o seu próprio interesse.  

A condução desse processo nas escolas terá como marco a reflexão e prática dos princípios filosóficos e artísticos do Hip Hop e a Cultura de Paz. Um aluno do workshop de break e um aluno do workshop de rima serão selecionados pelas habilidades que demonstrarem durante as atividades e serão premiados com um troféu, uma camiseta e um certificado do projeto, sendo também convidados a participarem do show com o rapper Rivas acompanhado de uma crew (grupo de dançarinos de break), proporcionando assim a prática real do que lhes foi proposto bem como o surgimento de novas trajetórias.

Fato é que o mercado do Hip Hop se apresenta como uma opção concreta para o usufruto de bens culturais, o lazer e a produção de renda para os jovens em geral, e uma das coisas que mais empolgam os jovens em relação ao hip hop é a combinação entre a facilidade de se expressar por meio da música, a arte visual do graffii, a poesia e a dança, com a saudável competição das batalhas de break dance e batalhas de rimas, e mostras de graffiti, nacionais e internacionais, atividades que colocam objetivos claros em relação a superação dos outros concorrentes por meio do esforço constante do aprendizado e da prática criativa: inventar novas letras,  novas rimas, novos movimentos de dança e produções de graffi.

Nesse sentido o Hip Hop adquire importância como instrumento de formação dos futuros cidadãos por ser, ao mesmo tempo um movimento de revolução pacífica, mas de atitudes concretas, protesto e reivindicação de melhorias de vida principalmente dos jovens de periferia, e o que se busca ao final das atividades é o engajamento destes jovens, os quais inclusive, serão convidados a participarem do Encontro de B.Boys e B.Girls do Distrito Federal e Entorno, atualmente realizado no térreo da Biblioteca Nacional, que ocorre no primeiro sábado de cada mês desde 1989 em Brasília , marco cultural antológico nacional,  onde desde então esta cultura é disseminada e projetada por gerações, de forma prática e produtiva para o Brasil.

Sugestões de possíveis datas para realização do projeto

Última semana de agosto                   26 a 30 de agosto

Segunda semana de setembro            09 a 13 de setembro

Última semana de setembro               23 a 30 de setembro

Segunda semana de outubro              07 a 11 de outubro Penúltima semana de outubro            21 a 25 de outubro    

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: