Vigilante do CAPS-AD de Ceilândia cria dispensador de álcool em gel com pedal

Vigilante do CAPS-AD de Ceilândia cria dispensador de álcool em gel com pedal

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Com a pandemia mundial do novo coronavírus e a alta necessidade de utilizar álcool em gel para higienizar as mãos, um vigilante que presta serviço no Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS-AD) de Ceilândia decidiu criar um dispenser, ou dispensador, de álcool em gel diferente do tradicional, em que para utilizar o insumo é necessário apertar com as mãos o dispenser.

O novo modelo de dispensador de álcool utiliza um pedal para pressionar a saída do insumo, dessa maneira ninguém precisa tocar em nada com as mãos. O equipamento é todo feito de cano de PVC.

De acordo com a diretora administrativa da Região de Saúde Oeste, Graziele Faria, a iniciativa foi de extrema importância neste momento de pandemia, e todos os servidores ficaram muito felizes e empolgados com a ideia.

“O dispensador com pedal evita o contato físico com o dispenser, o que diminui o risco de contaminação. Além disso, por ser uma novidade, todos os servidores fizeram questão de usar, o que aumentou a desinfecção das mãos dos nossos profissionais”, relata.

O inventor do dispensador de pedal é o vigilante Eduardo Ferreira. Ele conta que a ideia de criar um modelo de dispenser surgiu após observar que muita gente que frequentava seu local de trabalho, o CAPS-AD de Ceilândia, deixava de higienizar as mãos por receio de colocá-las em algo utilizado por todo mundo.

“Eu percebi que as pessoas deixavam de limpar as mãos porque não queriam pegar no dispensador. Como é um vírus novo, todos ficam receosos de tocar a mesma superfície, principalmente quando algum morador de rua utilizava. Por isso, resolvi produzir algo simples e que ajudasse a resolver esse problema”, explica o criador do dispenser de álcool com pedal.

DOAÇÕES – O vigilante levou sua criação para seu local de trabalho, onde recebeu muitos elogios pela equipe. A partir daí, a vontade de ajudar só aumentou e ele começou a fabricar mais dispensadores de álcool com pedal para outras unidades. Ele doou os dispensadores para os hospitais regionais de Ceilândia e Taguatinga e Hospital São Vicente de Paulo.

“Quero ajudar de alguma forma. A minha intenção não é vender, fico feliz de poder doar e ajudar. Sei que não vou conseguir doar um milhão de unidades, mas sei que os que eu doar vão ajudar a salvar muitas vidas. Os especialistas falam muito em cuidado com a higiene das mãos”, afirma Eduardo.

Eduardo consegue produzir até dez unidades do dispensador em um único dia. O custo de produção de cada unidade é de aproximadamente R$ 50. Ele já produziu alguns para sindicatos e empresas privadas, que contribuem com um valor para cobrir os custos e a mão de obra.

*Com informações da Secretaria de Saúde do DF

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: