Câmara aprova cotas para negros em concursos públicos do DF

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Os concursos públicos do Distrito Federal passarão a ter de prever cotas para negros e negras. É o que estabelece o projeto de lei nº 267/2019, aprovado pelo plenário da Câmara Legislativa na sessão desta quarta-feira (5). Com a tramitação encerrada, a matéria segue para a sanção do governador Ibaneis Rocha.

De autoria da deputada Arlete Sampaio (PT), o texto garante a reserva de 20% das vagas oferecidas em concursos distritais para provimento de pessoal, nos Poderes Executivo e Legislativo, a candidatos negros. A proposta está em sintonia com o que prevê a Lei Federal nº 12.990/2014, a qual estabelece cotas raciais no âmbito da União.

“Estamos trazendo para o DF os mesmos dispositivos da Lei de Cotas do governo federal”, explica Arlete Sampaio. “Nós temos uma dívida social com a população negra, pois o Brasil escravizou durante séculos essa comunidade. Essa é uma reparação e uma política afirmativa”, argumenta a parlamentar.

O projeto prevê que, para a aplicação da cota, o número de vagas oferecidas deve ser igual ou superior a três. Ainda de acordo com o texto, para concorrer às vagas reservadas a negros e negras, os candidatos deverão se autodeclarar “pretos” ou “pardos” já na inscrição. Caberá a uma comissão verificar a veracidade da autodeclaração e, na hipótese de declaração falsa, o candidato será eliminado do certame ou terá a admissão ao serviço ou emprego público anulada.

Dados da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD) de 2018 revelam que 57,4% da população do DF se declara “parda” (47,4%) ou “preta” (10%).

Com informações da CLDF

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: