Combate às drogas e dependência química é foco de nova frente parlamentar do DF

Combate às drogas e dependência química é foco de nova frente parlamentar do DF

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Gestores da Secretaria de Saúde participaram, nesta quinta-feira (13), do lançamento da Frente Parlamentar de Combate às Drogas e Dependência Química, realizado na Câmara Legislativa do Distrito Federal. A Diretoria de Serviços de Saúde Mental (Dissam) da pasta será um dos órgãos que estará em contato direto com os trabalhos do colegiado.

“O apoio da Secretaria de Saúde vai ser sempre constante, no que tange às ações da Frente Parlamentar. Desde já, parabenizo a todos por essa iniciativa”, afirmou o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, na mesa de abertura do colegiado, de autoria do deputado distrital Reginaldo Sardinha.

A secretária-adjunta de Assistência à Saúde, Renata Rainha, reforçou a importância da criação da frente e lembrou que o atendimento oferecido pela pasta à população dependente química é realizado nos sete Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps-AD) do DF.

“Sabemos que o tratamento e o combate às drogas é muito delicado e difícil. Quanto mais pessoas e entidades puderem estar juntas nessa luta, isso, com certeza, vai fazer a diferença para todos os dependentes químicos e seus familiares”, ressaltou.

“Um dos objetivos da frente é fortalecer os centros de recuperação, para que os pacientes possam receber tratamento adequado e assistência do Estado”, destacou Reginaldo Sardinha.

DADOS – Conforme os dados apresentados no evento, cerca de 320 milhões de pessoas consumiram algum tipo de droga em 2016. O uso de maconha equivale a 60% de todo o consumo mundial. Desse total, 275 milhões de pessoas tinham entre 15 e 64 anos de idade.

De acordo com o Relatório Mundial da Organização das Nações Unidas (ONU) de 2018, cerca de 450 mil pessoas morreram devido ao uso de drogas em 2015. Dessas mortes, 167.750 estavam diretamente associadas a transtornos por uso de drogas, principalmente overdoses.

LEIA TAMBÉM -   Restrição de atendimento em hospitais públicos não tem data para acabar, diz jornal

Agência Saúde

Deixe uma resposta

Posts Relacionados

%d blogueiros gostam disto: