PCDF prende falso policial que sequestrava e extorquia traficantes em Ceilândia

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

O criminoso atuava em Ceilândia e no Sol Nascente, cometendo sequestros de criminosos, especialmente traficantes, no intuito de extorqui-los e subtrair dinheiro e drogas

Douglas Protázio

Agentes da Polícia Civil do DF, prenderam em flagrante, nesta quarta-feira (24), um homem, de 36 anos, que se passava por um falso policia. O homem usava uma carteira funcional da PMGO falsa, distintivo e arma de fogo. A ação ocorreu durante a Operação Loki, que apura denúncias contra o suspeito.

Segundo informações levantadas, o criminoso atuava em Ceilândia e no Sol Nascente, cometendo sequestros de criminosos, especialmente traficantes, no intuito de extorqui-los e subtrair dinheiro e drogas.

As investigações também apontaram que o suspeito estava colhendo informações sobre um morador da QNO 6, realizando rondas frequentes em frente à residência e local de trabalho da homem, inclusive tirando fotos e fazendo anotações.

Na noite dessa quarta-feira (23), os agentes foram comunicados de que um traficante teria sido sequestrado pelo falso PM, na região do Setor P Sul e levado até a própria residência, na QNO 6, onde teria escondida grande quantidade de maconha.

No local, os dois homens foram abordados pela equipe policial.  Na posse do falso policial foi encontrada uma carteira falsa da PMGO, uma chave de algema e uma pistola PT 100, calibre .40.

O suposto traficante confirmou que havia sido sequestrado pelo falso policial. No interior da casa, os agentes encontraram 24 tijolos de maconha – pesando aproximadamente 25 KG – escondidos em um compartimento em cima de um armário.

A polícia apurou que em 2019, o falso policial – que já responde a dois inquéritos por porte ilegal de arma, injuria e calúnia, fora preso em flagrante e encaminhado à 20ª DP por posse de uma arma de fogo e uma carteira funcional falsa da PMGO.

LEIA TAMBÉM -   Ceilândia ganha festa online em homenagem aos seus 49 anos de história

O falso policia responderá pelos crimes de milícia, sequestro, uso de documento falso, extorsão e tráfico de Drogas. O traficante, de 26 anos, vítima do suposto sequestro, não possuia antecedentes criminais. Ele irá responder pelo crime de tráfico de drogas.

*Com informações da PCDF

** Douglas Protázio é estudante de jornalismo e criador do Diário de Ceilândia

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: