Polícia Civil prende maior ladrão de cofres do DF

Polícia Civil prende maior ladrão de cofres do DF
Foto: Divulgação PCDF

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

A Polícia Civil do DF prendeu um criminoso que é considerado o maior roubador de cofre do Distrito Federal. A ação ocorreu, na última sexta-feira (12), durante a Operação Rapio da Divisão de Repressão a Roubos e Furtos – DRF/Corpatri, em Valparaíso de Goiás/GO.

Conforme apurado, o homem de 34 anos, foi um dos participantes do roubo à empresa Heineken Brasil, localizada no SAAN, ocorrido na madrugada do dia 15 de outubro de 2018.  À época, cinco criminosos renderam o vigilante da empresa com o emprego de armas de fogo, arrombaram o cofre e subtraíram a quantia de R$ 149,8 mil, além de uma arma de fogo e um colete balístico.  

Os criminosos se aproximaram do vigilante trajando roupas e coletes da Polícia Civil e conduzindo um sujeito algemado. Em seguida, disseram para o vigilante que o capturado havia jogado uma arma de fogo no pátio da empresa. O vigilante abriu o portão do local e passou a procurar a arma de fogo com os delinquentes, quando o criminoso rendeu e tomou o revólver dele.

Em seguida, ele arrombou o cofre com uma mola de caminhão, subtraindo a quantia em espécie, além de uma arma de fogo, do tipo revólver, calibre 38, e um colete balístico, esses últimos pertencentes à empresa de segurança.   

O Assaltante tem uma extensa ficha criminal. Em julho de 2008, roubou uma empresa de gêneros alimentícios e, com o arrombamento do cofre, subtraiu cheques, valores e celulares. Em setembro daquele ano, ele foi preso em flagrante, logo após praticar um assalto em uma construtora de Caldas Novas/Go. Lá, subtraiu R$ 30 mil do cofre. Na volta ao DF, ele foi surpreendido por policiais da PCDF. Houve troca de tiros e um comparsa dele foi morto. Nessa ação, foram apreendidas oito pistolas, sendo quatro austríacas da marca Glock.

O criminoso ficou preso até dezembro de 2011, quando fugiu do Centro de Detenção Provisória – CDP. No período em que ficou foragido, foi identificado como autor do roubo praticado contra uma agência bancária em Brazlândia, com a subtração de R$ 205 mil do cofre.

Ele também é apontado como autor de dois furtos em comércio, com arrombamento de cofres. Um deles ocorreu em uma joalheria de Samambaia de onde foram furtados quatro quilos de ouro trabalhado em anéis, pulseiras, pingentes, correntes e alianças, além de R$ 2,5 mil, em espécie.

Além dele, foram identificados outros dois criminosos como autores do roubo à empresa Heineken. Um deles, que chegou algemado à empresa, foi morto logo após o assalto, em Taguatinga. O outro criminoso é Wellington Crizante Torres, 32 anos, que segue foragido. Contra ele há mandado de prisão temporária. A população pode ajudar com informações sobre o paradeiro de Wellington pelo disque-denúncia 197. As investigações continuam no intuito de identificar os outros dois assaltantes.

Com informações da PCDF

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: