...
 

Ações especiais contemplam quilombo urbano de Ceilândia

Iniciativa faz parte da programação da Secretaria da Mulher para o Mês das Pretas, que inclui webinário, live e oficinas de capacitação

Marlene Barbosa dos Santos, 43 anos, moradora de Ceilândia há mais de três décadas, juntou as cadernetas de vacinação dos filhos, chamou os vizinhos e foi até a Casa Akotirene, quilombo urbano localizado em Ceilândia, para usufruir de um dia diferente. Lá, ela e a família tomaram a vacina contra a influenza e receberam orientações sobre higiene bucal.


As ações das quais dona Marlene participou fazem parte da programação da Secretaria da Mulher (SM) preparada especialmente para julho, quando é celebrado o Mês das Pretas. São atividades voltadas à promoção econômica, bem como à prevenção e ao cuidado da saúde de mulheres negras.


A visita ao quilombo foi feita em parceria com equipes da Secretaria de Saúde (SES). Houve bate-papo sobre enfrentamento à violência doméstica, saúde sexual e reprodutiva e prevenção ao câncer de mama, além de uma oficina sobre alimentação saudável.


“Queremos promover essa integração entre as pastas do governo, as lideranças e espaços da comunidade para que, cada vez mais, possamos apoiar essas mulheres, por meio da promoção da saúde e da prevenção das violências”, informou a gerente de diversidade da Subsecretaria de Promoção das Mulheres, Andrea Simplicio.

Demandas

Ao longo do dia, também foi feita a coleta de dados sobre as demandas sociais da comunidade que vive no local. Também foram apresentados os serviços e os equipamentos de acolhimento e de proteção oferecidos pela SMDF às mulheres vítimas de violência.


As mulheres puderam ser vacinadas contra influenza, fazer testes rápidos de hepatite, HIV e sífilis, além de aferir a pressão e a glicemia e receber orientação sobre como manter a saúde bucal. Equipes da SES também distribuíram kits de higiene dental.


“Esse evento foi muito importante, porque muitas mulheres deixam de se cuidar e perdem oportunidades por falta de informação”, disse Marlene. “Ações como essa trazem muitas coisas boas para a nossa comunidade.”

No total, foram 44 atendimentos entre mulheres que participaram dos bate-papos e as que foram inscritas nas oficinas do projeto de capacitação Mulheres Hipercriativas, elaborado pela SM em parceria com a Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI). Também foram contabilizados mais de 100 atendimentos gerais de saúde, somando doses de vacinas aplicadas e testes rápidos.