...
 

Ativista de Ceilândia se destaca na promoção dos Direitos Humanos

O morador de Ceilândia usa as redes sociais como instrumento de promoção, defesa e denúncias de violações dos direitos humanos


Ativista de Ceilândia se destaca na promoção dos Direitos Humanos
Imagem: Reprodução.

O ativista Douglas Protázio, foi um dos ganhadores do II Prêmio Marielle Franco de Direitos Humanos, oferecido pela Câmara Legislativa do DF, na categoria “Ativistas”. A premiação aconteceu em uma sessão solene no plenário da Câmara Legislativa, na noite desta segunda-feira (06/11).

O morador de Ceilândia usa as redes sociais como instrumento de promoção, defesa e denúncias de violações dos direitos humanos. Cidade mais populosa do DF, Ceilândia foi criada em 1971, a partir da Campanha de Erradicação das Invasões (CEI). Hoje a cidade abriga mais de 470 mil habitantes, segundo dados da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan). O estudante de jornalismo também é o idealizador do Jornal Comunitário Diário de Ceilândia.

"A homenagem que a Câmara Legislativa me presta se reveste de um significado que transcende, em muito, meus méritos pessoais, carregada de simbolismo, é uma excelente oportunidades para que eu expresse minha profunda gratidão", afirmou Protázio na tribuna da CLDF.


Os Direitos Humanos constituem a categoria mais básica de direitos que qualquer ser humano, em qualquer parte do mundo, pode requerer em defesa própria ou de outrem. Não há distinção de classe social, cor, gênero, nacionalidade, religião, orientação sexual ou de qualquer outro tipo que anule os direitos fundamentais de uma pessoa. A honraria é um reconhecimento público e oficial da Comissão de Direitos Humanos (CDH) ao trabalho de defensoras e defensores de direitos humanos em diversas áreas de atuação no Distrito Federal. “A execução de Marielle foi um ataque direto à Democracia. Já se passaram mais de três anos e até hoje não sabemos quem mandou matar Marielle. São tempos duros para quem defende direitos humanos no Brasil, o Prêmio Marielle é uma maneira de reconhecer e de fortalecer o trabalho de pessoas e entidades que defendem os direitos mais fundamentais”, declara Fábio Felix (PSOL), presidente da Comissão de Direitos Humanos da CLDF.

Marielle Franco: uma trajetória em defesa dos mais vulneráveis

Marielle Franco foi vereadora pelo estado do Rio de Janeiro. Sua atuação em movimentos sociais e no mandato foi centrada na defesa dos direitos das mulheres, da população negra, vulnerável e periférica. Marielle também trabalhou na Coordenação da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). No dia 14 de março de 2018, Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes foram brutalmente assassinados e, até hoje, o crime não foi elucidado, embora alguns envolvidos no crime tenham sido presos.

34 visualizações0 comentário