...
 

Ceilândia e Entorno contra o câncer

Cidade chega aos 51 anos neste mês de março e apresenta um dos maiores registros da doença em todo o DF


Uma jovem senhora que chega aos 51 anos no próximo dia 27. Essa é Ceilândia, uma das maiores e mais populosas regiões administrativas do Distrito Federal. Como qualquer um que está na meia idade, requer cuidados relacionados à saúde. Até porque, a cidade registrou 918 cirurgias de câncer no ano passado apenas na rede pública, sendo o quinto maior polo desse tipo de procedimento no DF, de acordo com dados do boletim Info Saúde.


Nesse período, foram mais de 16 mil consultas oncológicas. É uma região gigantesca, com urgência de tratamentos e atendimento hospitalar perto da saturação.


“Precisamos reforçar o trabalho com essas pessoas, principalmente no que diz respeito à prevenção e tratamento. Muitos tipos de tumores são evitáveis, de rápido diagnóstico ou facilmente tratáveis. Porém, é preciso agir rápido”, destaca a médica Regina Hércules Vidal, do Centro de Câncer de Brasília (Cettro).


De acordo com a especialista, o mês de aniversário da cidade ressalta também a campanha Março Lilás, voltada ao combate e à prevenção ao câncer de colo uterino. “Esse é o típico exemplo de um tumor evitável, pois as pessoas já dispõem de uma vacina contra o vírus HPV, que causa a doença”, enfatiza a oncologista que atende na unidade Ceilândia Norte, na Quadra QNN 28.


Regina enfatiza que a desinformação, envolvendo muitos mitos e fake news (notícias falsas), é a principal barreira para o controle do câncer do colo do útero em todo o Brasil.


Outra preocupação da médica é a questão dos tratamentos. “Muitas pessoas abandonam ou não aderem a frequência necessária dos procedimentos, muitas vezes por falta de tempo ou distância das unidades. Porém, é importante frisar que Ceilândia está preparada para realizar esses tratamentos. O importante é as mulheres não abrirem mão de sua saúde”, alerta.


A oncologista finaliza ressaltando que o aniversário da cidade é uma data para comemoração, mas também de sensibilização acerca de temas como saúde da população, prevenção e autocuidado.

65 visualizações0 comentário