...
 

Fundo de Resiliência Solidária no enfrentamento à Covid-19 e suas consequência no DF

Ação fundada por organizações da sociedade civil no DF recebe apoio de entidades e órgãos públicos contra os impactos e efeitos da crise social provocada pelo Coronavírus nas periferias

Os impactos da crise social, política e econômica no Brasil, agravada pela pandemia causada pelo Covid19, já atingem de forma crítica o cotidiano de milhões de brasileiros. A falta de perspectiva de ações mais efetivas por parte dos governos, para a garantia de renda mínima e imunização de toda a população, tem sido um dos fatores para que diversos setores da sociedade desenvolvam ações por direitos e condições de sobrevivência das pessoas mais vulneráveis. Redes de solidariedade se formam e distribuem alimentos, itens de higiene, roupas, entre outros itens de primeira necessidade.

Na capital do país, uma iniciativa inovadora foi lançada em dezembro de 2020 e recebeu o nome de Fundo de Resiliência Solidária – FRS. Os recursos arrecadados pelo Fundo, a partir de investimentos que já podem ser feitos por pessoas físicas, empresas, organizações públicas e da sociedade civil, apoiarão comunidades em situação de maior vulnerabilidade social do Distrito Federal e que sofrem severamente com os efeitos socioeconômicos da Covid-19. Serão realizadas ações de combate à fome e às desigualdades sociais, por meio da concessão de auxílio solidário para essas pessoas e de apoio a empreendimentos sociais e cooperativos que gerem trabalho e renda para promover o desenvolvimento local.

A gestão do FRS é realizada pelo Banco Comunitário Estrutural por meio de um Conselho de Governança formado pelo Movimento de Educação e Cultura da Estrutural (MECE), que é a entidade gestora do Banco, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz, Universidade de Brasília – UnB, Centro de Estudos e Assessoria – CEA, Instituto Agostin Castejon – IAC, Círculo Operário do Cruzeiro, entre outros movimentos. Por meio deste Conselho será realizada prestação de contas contínua e divulgação sobre os recursos arrecadados, que neste primeiro momento deve beneficiar 8 regiões do DF: Estrutural, Paranoá, Ceilândia, São Sebastião, Santa Maria, Samambaia, Riacho Fundo e Taguatinga.

“A solidariedade é a vacina contra a fome e as iniquidades que a COVID-19 acentuou no Brasil. Milhares de brasileiros e brasileiras estão vivendo em situação de miséria e a empatia e a cooperação são elementos, juntos com a solidariedade, capazes de fazer pelo outro aquilo que o Estado não está dando conta de fazer. O Fundo de Resiliência Solidária está sendo operado com base nesses elementos e pretende fazer um economia popular que contribua para o desenvolvimento local saudável e sustentável.”

Estima-se que 9%, ou cerca de 19 milhões de pessoas, estão em situação de insegurança alimentar aguda no Brasil, conforme pesquisa desenvolvida pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan), em dezembro de 2020. Este dado confirma o retorno do país ao Mapa da Fome, levantamento que é realizado pelas Nações Unidas (ONU) com informações sobre a situação alimentar em todo o mundo.

Especialistas demonstram preocupação indicando que dados mais atuais podem revelar um cenário ainda mais dramático, considerando que no ano de 2021 houve a descontinuidade e redução no valor do Auxílio Emergencial do governo federal, que em 2020 contribuiu de forma efetiva no combate à fome e na proteção social de milhões de brasileiros. Ressalta-se que esta mudança se deu em um momento de escalada na contaminação e no número de mortes pelo novo coronavírus e do agravamento de outras questões sociais associadas à crise sanitária, como aumento do desemprego e da inflação.

“O Movimento de Educação e Cultura da Estrutural – Mece solicita a você, morador ou moradora do DF e do Brasil, apoio com a doação de recurso financeiro, para ajudar a população de muita vulnerabilidade a combater as consequências da Covid19 no Distrito Federal, por meio do Fundo de Resiliência Solidária,” destaca a Deuzanir, membra do Conselho de Governança do Fundo e representante do MECE.

No Distrito Federal (DF), observa-se alta incidência de contaminação e mortes pelo Covid19 nas áreas mais pobres, explicitando a desigualdade social, cujo índice é um dos maiores do país, e que afeta principalmente mulheres negras.

As doações podem ser realizadas por qualquer pessoa, física ou jurídica, que tenham interesse em apoiar o Fundo. Aquelas realizadas por empresas júridicas e empresários podem ter imposto abatido no Imposto de Renda (IR).

Para doar basta realizar pagamento via PIX (Chave 24891909000145) ou transferência bancária para a seguinte conta: Caixa Econômica Federal, Agencia: 0643-2, C/C: 3535-2, OP 003, CNPJ 24.891.909/0001-45, Banco Comunitário Estrutural/Movimento de Educação e Cultura da Estrutural (MECE).

#AçãoSocial #coronavírus #Covid19

1 visualização0 comentário