...
 

Mulher que deu tapa na cara de educadora, em Ceilândia, terá que pedir desculpas em público

A juíza substituta do 2° Juizado Especial Cível de Ceilândia homologou acordo de conciliação firmado entre uma professora da Secretaria de Educação do DF e uma mãe de uma estudante do Caic Bernardo Sayão, em Ceilândia. A professora voluntária da instituição teria sido agredida com um tapa no rosto pela mãe da criança.

Na audiência de conciliação realizada nesta terça-feira, 22/10, no Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania dos Juizados Especiais Cíveis de Ceilândia – CEJUSC/CEI, restou estabelecido entre as partes que a agressora deverá fazer uma retratação pública, textual, como pedido de desculpas pelo ocorrido. O texto deverá ser lido em voz alta para o público presente na escola, no dia marcado, e, em seguida, será fixado no mural do referido colégio pelo o período de sete dias corridos, a contar da data da apresentação.

A mãe da aluna, ainda deverá pagar à professora a quantia de R$ 1 mil, dividida em 10 parcelas fixas, iguais e sucessivas de R$ 100,00, a título de indenização.

#Ceilândia #educadora

1 visualização0 comentário