...
 

Técnica de Redução de Estresse (TRE) é oferecida em Unidade Básica de Saúde de Ceilândia

Você já levou um grande susto, que deixou seu corpo tremendo por um bom tempo? Essa sensação também aparece quando a pessoa está ansiosa ou muito nervosa. Agora, já pensou em fazer exercícios que provoquem esse tremor justamente para tratar traumas, estresses e sofrimentos adquiridos ao longo da vida? Esta é, basicamente, a proposta da Técnica de Redução de Estresse (TRE), ofertada ao público pela Secretaria de Saúde (SED).

Criada nos Estados Unidos pelo psicólogo e filósofo David Berceli, a TRE utiliza exercícios simples, que ativam tremores musculares involuntários. Assim, o corpo libera tensões associadas a estresse e sintomas diversos. Pode ser praticada por pessoas de ambos os sexos e de qualquer idade.

“O último exercício consiste em deitar no colchonete em posição de borboleta; é quando as pernas mais tremem e propagam pelo corpo, promovendo um relaxamento profundo e aliviando conteúdos ativados”, explica o médico Marcelo Amaral, referência técnica distrital da técnica na SES.

Resultados

Já no primeiro dia de prática, é possível ver mudanças. Convidada pela mãe, Zélia Maria da Silva, para praticar a TRE, Evely Maria da Silva Lorençoni, de 20 anos, conta que, depois de uma hora seguindo as instruções, saiu mais relaxada. “Vim porque estava estressada, por ser semana de provas, e agora estou saindo bem mais tranquila. Nem lembrava que tenho prova amanhã”, conta.

Zélia, que pratica a TRE há mais tempo, considera aquela hora de exercícios o momento certo para esquecer as tantas responsabilidades que tem no dia a dia. “Também aliviou as dores que eu sentia”, relata. “Agora, além da minha filha, quero que meu marido também participe, para ajudar a aliviar o estresse”.

Marcelo do Amaral, que já coordenou o Programa de Atenção à Saúde de Adolescentes e conheceu a TRE em 2010, quando fez com David Berceli sua capacitação e passou a praticar a técnica na Unidade Básica de Saúde 1 de Brazlândia, aferiu excelentes resultados. “Vinham pessoas com insônia, estresse, com conteúdos emocionais que as perturbavam, causando medo, ansiedade, depressão; e logo percebiam alívio de tudo isso com a prática”, relembra.

O médico Marcelo do Amaral fez a capacitação com o criador da técnica e vai estender a prática às escolas da rede pública

Acompanhamento

Um dos beneficiados com a técnica é o aposentado Orlando Nogueira de Assis, de 53 anos. Há um ano, ele passava por problemas emocionais que lhe custaram o sono. Passou a ser acompanhado por psiquiatra e a usar medicações de tarja preta. Foi encaminhado à TRE, então, para aprimorar mais uma etapa do seu tratamento.

“Já consigo dormir sem usar medicamentos, e até as dores de cabeça e nos ombros que eu sentia, não sinto mais”, revela. “Mesmo tendo recebido alta, não largo a prática e ainda convido amigos e familiares a participarem.”

Atualmente, a técnica de redução de estresse é oferecida em unidades básicas de saúde de Ceilândia, Brazlândia, Paranoá e Asa Norte. Com a formação de novos facilitadores, a tendência é aumentar a oferta. “Hoje, temos 30 facilitadores das mais diversas formações profissionais”, relata Marcelo.

Como participar

Aproximadamente 5 mil pessoas já foram beneficiadas pela técnica somente nos grupos, fora servidores, alunos e pessoas que participam de eventos de saúde onde a prática é oferecida. Para quem pretende praticar, basta ir à unidade onde a técnica é oferecida e informar-se sobre os dias e horários.

Além das unidades básicas de saúde, um projeto vai levar a Técnica de Redução de Estresse às escolas. “Iniciamos em uma escola pública no Gama, com diversas outras técnicas, e agora outras duas escolas em Brazlândia também receberão”, adianta Marcelo.

Acesse mais informações sobre a TRE neste vídeo.

#TécnicadeReduçãodeEstresse

0 visualização0 comentário