Cirurgias eletivas são retomadas temporariamente

Desde a suspensão, as cirurgias oncológicas, cardiovasculares, transplantes e judicializadas não deixaram de ser feitas | Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Até o dia 7 de dezembro, hospitais da rede poderão operar pacientes de várias especialidades

no ocorre com a segurança necessária tanto para os pacientes quanto para os profissionais de saúde, conforme previsto no Plano de Contingência do Distrito Federal.

“Estamos com a segunda maior produção de cirurgias hospitalares, menor apenas que a do ano de 2019, mesmo em ano de pandemia da Covid-19”, destaca Sanchez. Ele lembra que o momento para esta retomada “é propício, com muita segurança, por questões técnicas, oferta de leitos e de abastecimento de insumos”. “Precisamos atender às necessidades de toda a nossa população, seja por Covid-19 ou não Covid-19”, afirmou.

Hospital Regional de Taguatinga

Mesmo com a pandemia e com várias restrições, a Secretaria de Saúde conseguiu, neste ano, aumentar a produção cirúrgica de especialidades como gineco-oncológicas. O Hospital Regional de Taguatinga (HRT), por exemplo, fez, entre janeiro e setembro deste ano, 280 cirurgias desse tipo. Foram cem procedimentos a mais que no mesmo período de 2019, o que representa um crescimento de 56% na produção de cirurgias da unidade.

Outra unidade que aumentou a produção cirúrgica em 2020 foi o Hospital Regional de Ceilândia (HRC). Uma força-tarefa realizada em outubro resultou em 196 cirurgias ortopédicas, um aumento de 21% em relação ao mesmo mês em 2019, quando foram realizadas 162 cirurgias.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Veja mais:

LEIA TAMBÉM -   Covid-19: MPDFT cobra informações sobre Hospital de Campanha de Ceilândia

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: