Governo anuncia construção do primeiro hospital oncológico público de Brasília

Governo anuncia construção do primeiro hospital oncológico público de Brasília

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

A Caixa Econômica Federal (CEF) liberou R$ 119.772.956,97 para licitar e construir a primeira unidade do Hospital Oncológico de Brasília, no Setor Noroeste. Esse é maior convenio entre a Secretaria de Estado da Saúde e o Ministério da Saúde dos últimos dez anos. 

O projeto arquitetônico elaborado pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) está concluído e foi aprovado pela CEF. A expectativa do órgão é de que a licitação seja aberta até o primeiro semestre de 2020, com previsão das obras iniciarem 60 dias após o processo ser finalizado.

“O Hospital Oncológico é um ganho importante para a nossa cidade e para a região Centro-Oeste. Segundo nossos estudos epidemiológicos, há grande demanda nessa região, com necessidade de internação para exames e cirurgias. À medida que formos trabalhando nessa especialidade, poderemos nos tornar referência, com profissionais especializados nessa patologia. O governador Ibaneis Rocha esteve trabalhando desde a transição para conseguir esses recursos e sempre acreditou que seria possível”, afirma o secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

“Havia um trabalho conjunto entre Secretaria de Saúde, Novacap e equipe do governo para que esse projeto do hospital fosse aprovado. O governador Ibaneis Rocha foi o maior incentivador para que toda a documentação fosse entregue à Caixa, que analisou e aprovou o projeto”, conta a diretora do Fundo de Saúde do Distrito Federal, Beatris Gautério.

O Hospital de Especialidades Cirúrgicas e Centro Oncológico de Brasília, conhecido como Hospital Oncológico, deverá ser construído em um terreno de 40 mil metros quadrados ao lado do Hospital da Criança de Brasília. A estimativa é de que a nova unidade tenha 152 leitos de internação, 20 leitos de UTI e capacidade para realizar até 9 mil atendimentos por ano.

Administração

Os recursos da Caixa Econômica serão recebidos a partir do início da construção, com a emissão da primeira ordem de serviço. A verba será administrada e fiscalizada pelo Fundo de Saúde do Distrito Federal (FSDF). “Temos dado o devido valor aos convênios firmados com a União e, a cada dia, pretendemos firmar novos contratos com eles”, ressaltou a diretora do FSDF, Beatris Gautério.

LEIA TAMBÉM -   Internet gratuita para estudantes e professores começa a ser liberada

Ainda de acordo com a gestora, o esforço do Fundo de Saúde e do Governo do Distrito Federal (GDF) tem sido no sentido de recuperar recursos não executados por gestões anteriores e avançar em projetos necessários à população, como o do Hospital Oncológico.

Justiça

A entrega da documentação e dos projetos para a obra só foi possível após a decisão favorável obtida pelo governo na Justiça Federal, que aceitou o pedido do GDF para prorrogar o prazo de conclusão e entrega.

Assim, o governo ganhou mais seis meses para evitar uma perda de R$ 121.998.888,00, recursos do governo federal destinados à obra. A verba foi obtida por meio de contrato de repasse (convênio) com a União, destinada em 2016 por emenda parlamentar da bancada federal.

A Justiça aceitou a argumentação de que o prazo que a CEF leva para analisar a documentação não poderia ser descontado do período de 24 meses que o governo possui para entregá-la.

A Secretaria de Saúde aguarda, ainda, a aprovação, pela Caixa Econômica, de 15 projetos de eficiência energética no valor de R$ 64 milhões. Os projetos preveem 11 subestações, troca de lâmpadas para hospitais, condicionadores de ar, entre outros. Pretende-se gerar, com eles, economia de energia e suprir os hospitais com capacidade para ampliação de equipamento, se necessário.

* Com informações da Secretaria de Saúde

Veja mais:

LEIA TAMBÉM -   Fogos de artifício com estampido estão proibidos no DF

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: