Governo do DF manda fechar o comércio

Governo do DF manda fechar o comércio

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Com a escalada do número de pacientes infectados com a Covid-19, doença transmitida pelo coronavírus, o Governo do Distrito Federal teve que tomar novas medidas duras para tentar conter o avanço da pandemia na capital federal. Novo decreto amplia para o dia 5 de abril o fechamento das escolas, academias e estabelecimentos comerciais.

A decisão foi tomada a 11 dias de vencer a suspensão anterior, prevista para acabar em 30 de março. O novo decreto do governador Ibaneis Rocha (Decreto nº 40.539/2020) revoga os demais – nºs 40.520, de 14 de março de 2020; 40.522, de 15 de março de 2020; 40.529, de 18 de março de 2020; e 40.537, de 18 de março de 2020 – que tratavam separadamente do fechamento desses recintos.

Leia a íntegra do decreto

Estão contidos neles todas as restrições impostas nos decretos anteriores. Terão de fechar as portas cinema, teatro, faculdades, das redes de ensino pública e privada, academias, museus, zoológico, parques ecológicos, recreativos, urbanos, vivenciais.

O novo decreto ampliou também a relação dos estabelecimentos que deverão fechar. Boates, casas noturnas, atendimento ao público em shoppings centers, feiras populares e clubes recreativos, shoppings centers, cultos e missas de qualquer credo ou religião, salões de beleza e centros estéticos também são obrigados a suspender suas atividades pelos próximos 17 dias.

Ficam autorizados a funcionar somente laboratórios, clínicas de saúde, farmácias e serviços de entrega em domicílio (delivery). Vale esclarecer que o descritivo “clínicas médicas” inclui as veterinárias. Isso quer dizer que, em casos de necessidade de preservação da saúde do animal, o estabelecimento funciona em esquema de delivery, para entrega de produtos – ou seja, com a loja fechada, sem gente dentro (os chamados pet shoppings não funcionam).

Já o atendimento ao público em todas as agências bancárias e cooperativas de crédito no Distrito Federal será feito de forma parcial. De acordo com o decreto, as instituições bancárias públicas e privadas deverão conceder atendimento a pessoas com doenças graves.

O número de casos de pacientes infectados com a doença dobrou em menos de um dia no Distrito Federal. Eram 36 casos confirmados e, até o fechamento desta reportagem, esse número passou para 84.

*Agência Brasília

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: