MCTI instala posto em Ceilândia para testar medicamento contra a Covid-19

Medicamento reduziu em 94% a carga viral em células infectadas in vitro - Foto: EBC

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Droga será adotada na UBS 9 de Ceilândia em pacientes com os sintomas iniciais da doença. Ideia é usá-la em 500 voluntários

A Secretaria de Saúde inicia, nesta quarta-feira (22), um estudo inédito com o medicamento nitazoxanida, que pode ser eficaz no tratamento da Covid-19. A expectativa é conseguir 500 voluntários (#500voluntáriosjá) para participar da iniciativa, que será implementada na Atenção Primária.

O trabalho é resultado de uma parceira da Secretaria de Saúde com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). A ação #500voluntáriosjá já começa a cadastrar participantes para um tratamento experimental na Unidade Básica de Saúde 9 de Ceilândia.

Para viabilizar o estudo, uma unidade móvel de pesquisa foi montada no local, onde os voluntários poderão fazer a testagem para o novo coronavírus. Serão selecionados pacientes com idade superior a 18 anos, infectados pelo SarsCov-2 que apresentam até o terceiro dia de manifestação clínica da doença ao menos dois sintomas mais comuns do coronavírus como, febre e/ou tosse seca e/ou fadiga.

Os voluntários receberão os kits de medicamento juntamente com as instruções para o uso correto. O secretário de Saúde, Francisco Araújo, participou da inauguração da estrutura e ressaltou a importância da pesquisa para a população do Distrito Federal.

“Este é um momento de esperança. Uma pandemia pode ser comparada tranquilamente a uma guerra. Cada profissional da saúde tem dedicado sua vida para proteger outras vidas, porque no caso do trabalhador da saúde, a gente não pode se furtar de ir ao hospital, de ir à uma UBS, de frequentar o nosso espaço para proteger as pessoas”, declarou o secretário.

Moléculas
Desde fevereiro, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) conduziu estudos de reposicionamento do medicamento nitazoxanida – que, após o experimento, apontou cinco moléculas capazes de inibir a replicação do novo coronavírus (SarsCov-2) com 94% de eficácia. Essas moléculas foram isoladas e serão usadas no estudo com a finalidade de aliviar consideravelmente ou até inibir os sintomas da doença, reduzindo a carga viral.

LEIA TAMBÉM -   Universidade Federal de Alagoas estuda influência do clima sobre a Covid-19

Para o ministro da Ciência, Marcos Pontes, a pesquisa tem fundamentação e potencial para ser uma grande descoberta brasileira. Já que a descoberta para um possível tratamento eficaz será por meio através de um medicamento cientificamente certificado.

“Este é um tratamento no estágio inicial da doença. Isso evita que a pessoa chegue a uma UTI de hospital. Então, um medicamento como este é uma importância gigantesca”, afirma o ministro.

Como participar?
A partir desta quarta-feira (22), pessoas que suspeitarem ou que apresentem sintomas da Covid-19 e desejarem participar da pesquisa podem procurar a UBS 9 de Ceilândia. Na unidade, os pacientes serão testados e a pesquisa será detalhada a eles.

Os voluntários devem ser maiores de 18 anos e deverão assinar um termo de consentimento livre e esclarecido para participar da pesquisa. Diabéticos, pessoas que estejam realizando hemodiálise ou em tratamento contra algum câncer não podem participar do estudo.

A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, também presidente do Conselho do Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado, acompanhou a inauguração da estrutura. Declarando felicidade em retornar à cidade natal, Michelle disse esperar contar com a população de Ceilândia. “Estamos aqui hoje para reforçar a importância do voluntariado neste teste clínico”, destacou.


Medicamento
A nitazoxanida não apresenta nenhum efeito colateral grave, mas pode apresentar potenciais sintomas ao decorrer de seu uso – como diarreia, dor de cabeça, enjoos, dor de barriga e alterações na cor da urina. Também pode haver relatos de tontura, palpitação, vômitos, coceira, irritação e manchas avermelhadas na pele. Entretanto, estes riscos são os mesmos que já seriam impostos em qualquer hospitalização. Os pesquisadores garantem que a equipe multiprofissional que estará prestando o atendimento permanecerá atenta ao surgimento de qualquer situação nova e usarão recursos disponíveis para minimizar os efeitos adversos identificados.


Pesquisas
A estrutura foi instalada no estacionamento da UBS 9 de Ceilândia e conta com quatro salas de acompanhamento. Pacientes da unidade que forem encaminhados para a estrutura e que aceitarem participar do estudo realizarão a testagem e, com 24 horas, serão convocados a buscarem o resultado do exame.

LEIA TAMBÉM -   Cursos técnicos registram crescimento positivo e reforçam credibilidade
Foto: Agência Saúde/Divulgação

Nos casos positivos para Covid-19, o paciente receberá um kit com a medicação, que ele deverá usar por cinco dias sem interrupção. Ao final deste período, o paciente será convocado novamente à unidade móvel de pesquisa para que a sua carga viral seja analisada e os efeitos do remédio sejam registrados.

“Percebemos que nós, da Secretaria de Saúde, não interrompemos os nossos trabalhos e não deixamos, em momento algum, de enxergar a saúde em todos os seus níveis. Continuamos acreditando que a continuidade destes trabalhos se dava mais próximo das cidades e dos territórios”, disse o coordenador de Atenção Primária à Saúde, Fernando Erick Damasceno.

Caso seja comprovada a eficácia da nitazoxanida, espera-se que haja redução da quantidade de vírus presente nas vias aéreas dos participantes tratados e melhora de sintomas mais rapidamente, com redução do risco de insuficiência respiratória, do risco de internação hospitalar e de mortalidade.

Com informações da Secretaria de Saúde

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: