Medicamentos para intubação estão com estoque no limite, no DF

Imagem: Reprodução.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Em sua análise, o conselheiro relator aponta que eventual situação de iminência de desabastecimento precisa ser investigada, diante da essencialidade desses medicamentos no quadro crítico da pandemia vivenciada no DF

Dez dos 25 remédios listados como de uso para intubação de pacientes estão com os estoques zerados ou em quantidade inferior à necessária até o fim do mês de abril. Os foram dados divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde do DF, no dia 6 de abril, no portal InfoSaúde-DF. O Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) determinou à pasta que, no prazo de dez dias, apresente esclarecimentos sobre supostas irregularidades relacionadas aos estoques de medicamentos que comporiam o chamado Kit Intubação.

Supostas irregularidades

De acordo com representação formulada pelo Ministério Público junto ao Tribunal de Contas do Distrito Federal – MPjTCDF, na Rede Pública de Saúde do DF faltam medicamentos utilizados para intubação de pacientes, incluindo aqueles acometidos com Covid-19. O documento aponta, ainda, suposta divergência entre os estoques dos medicamentos inseridos no Kit Intubação registrados no portal InfoSaúde-DF e a apresentação realizada pela Subsecretaria de Logística em Saúde da SES/DF no mês passado.

O Corpo Técnico do Tribunal também realizou consultas ao portal InfoSaúde-DF e identificou a existência de notas de empenho referentes à compra de alguns medicamentos que estariam em falta, sendo que nem todos haviam sido entregues pelos fornecedores.

Em sua análise, o conselheiro relator aponta que eventual situação de iminência de desabastecimento precisa ser investigada, diante da essencialidade desses medicamentos no quadro crítico da pandemia vivenciada no Distrito Federal. O relator também registra que apesar de natural a diferença dos estoques de medicamento entre um dia e outro, não se mostra razoável que a Secretaria de Saúde opere sob o risco iminente de falta de insumos relevantes, sob pena de se configurar possível má gestão por parte dos responsáveis.

LEIA TAMBÉM -   Mais de 20 toneladas de massa asfáltica foram usadas na manutenção de ruas e avenidas de Ceilândia

*Com informações do TCDF

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: