Saúde avalia terreno onde será construído hospital de campanha em Ceilândia

Saúde avalia terreno onde será construído hospital de campanha em Ceilândia

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

A Secretaria de Saúde deu o primeiro passo para o início da construção do hospital de campanha de Ceilândia, que depois se transformará em hospital materno-infantil. O subsecretário de Infraestrutura da Secretaria de Saúde, Isaque Albuquerque esteve no terreno onde será construída a unidade hospitalar para fazer o reconhecimento da área, identificar rede de água e esgoto, águas pluviais e trânsito da região.

“Precisamos avaliar todo o terreno antes de dar início a uma obra como esta. Não podemos sobrecarregar o trânsito e a rede de água e esgoto dessa área. Por isso é necessário e importante o trabalho em conjunto de vários órgãos do GDF para que o trabalho seja feito com eficiência e sem causar danos”, explica Isaque Albuquerque.O encontro contou com a participação do secretário de Obras, Luciano Carvalho, do diretor de urbanização da Novacap, Sergio Lemos e diretores técnicos da CEB, Caesb e Terracap.

Estrutura

O novo hospital de campanha será construído na QNN 27, no terreno ao lado da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Ceilândia. A área total do hospital de campanha é de 2 mil m² construídos mais a urbanização de toda a área ao redor. Serão 60 leitos no total, sendo 40 de enfermaria e 20 de UTI.

“A ideia do governador é transformar toda essa área em um setor hospitalar, incluindo a área da UPA. Vamos construir estacionamento e após a pandemia do coronavírus iremos expandir aos poucos o hospital materno-infantil. Para isso, precisamos de um trabalho integrado com os outros órgãos”, informa o subsecretário de Infraestrutura.

O hospital de campanha será feito de alvenaria com estrutura metálica, pois é método mais rápido e eficiente para construção em um prazo tão pequeno. O valor da obra está estimado em 15,5 milhões e a previsão de entrega é de 40 dias.

LEIA TAMBÉM -   Covid-19: GDF muda protocolos em igrejas e cinema

Segundo Isaque, os leitos serão geridos via Sistema Integrado de Gestão, onde uma empresa será contratada para prestar todo o serviço, como a locação de equipamentos, insumos, mobília e mão de obra. Após o fim do contrato, os bens serão incorporados ao patrimônio da Secretaria de Saúde do DF.

*Com informações Agência Saúde

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: