A herança de Adão, ops, Carlos Xavier.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Alguém se lembra do distrital Adão Xavier, que depois mudou de nome e passou a se chamar Carlos Xavier? Pois é, Xavier perdeu o mandato e, mais tarde, foi acusado até de participação em assassinato. Não se candidatou mais. Pois um grupo evangélico resgatou um projeto apresentado por ele há exatos dez anos e tenta recuperá-lo como proposta de iniciativa popular.  
Bíblia como ensino obrigatório

Ao preparar o projeto, o objetivo de Adão, ops, Carlos Xavier era tornar obrigatória a leitura da Bíblia em todas as escolas do Distrito Federal. Sabia, porém, que poderia ser acusado de suscitar embates religiosos, uma vez que, reconhecia, “é livre a liberdade de crença em nosso País”. O texto é dele. Mas Xavier encontrou uma saída. Determinava o estudo da Bíblia “como obra literária”, fazendo parte das disciplinas Literatura, História e Geografia. A determinação, assim, valeria para escolas públicas e particulares, até para as que se vinculassem a outras religiões que não as cristãs.

Por Eduardo Brito / Jornal de Brasília

1 Comment

  • Avatar
    Anônimo , 5 de agosto de 2013 @ 19:37

    Se os cientistas, historiadores, estudiosos de diferentes religiosos estudam. Porque nossas crianças não podem? A não ser que tenha algum motivo muito sério, quem sabe algo que não pode ser revelado? A bíblia relata fatos que estão acontecendo hoje, ela nos ensina até mesmo a nos precaver de situações de calamidade, ela ensina o homem a ser manso, humilde, paciente, sábio, sensato, desviar-se do mal, amar ao próximo, aceitar as pessoas como elas são, ser verdadeiro, não usar de mentira e falsidade, ajudar as viúvas e os órfãos, dentre outras mais. O que pode haver de errado em ser usada como livro de estudo? Muitas vezes deixamos de ensinar os nossos filhos dentro de nossas casas; por estarmos ocupados com o financeiro, profissional, material, enfim, temos dado atenção somente ao presente, sendo assim o futuro continua piorando a cada dia. Eu não quero que meu filho, que hoje é uma criança, conviva com jovens sem esperança, violentos, insensatos… Vamos analisar de forma consciente essa possibilidade e não se ela foi cogitada por Carlos, Adão ou quem quer que seja.

    Daniela Seixas
    (61) 8428 2017

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: