A renovação na Câmara legislativa.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Disputar eleição para deputado em Brasília no próximo ano será moleza para os novatos. Isso porque pode-se prever que, tanto na bancada federal como na Câmara Legislativa, a renovação será acima de 50%.

Na Câmara Federal, nomes como Reguffe (teve 266 mil votos em 2010), Pitiman e Izalci tendem a disputar cargos em nível superior, como senador ou governador. Há relativa certeza de reeleição para Geraldo Magela (PT), Erika Kokai (PT) e Ronaldo Fonseca (PR).
Jaqueline Roriz (PMN) e o presidente do PT-DF, Roberto Policarpo, se tentarem a reeleição terão muita dificuldade para conseguir garantir uma cadeira na Câmara Federal. Ela porque enfrentou graves problemas no mandato e ele porque não ampliou o seu eleitorado. Na verdade, Policarpo assumiu o cargo porque o eleito, Paulo Tadeu, tornou-se conselheiro do TCDF.
 
O QUE MUDA NA
CÂMARA LEGISLATIVA

Na Câmara Legislativa, há a perspectiva de que o presidente Wasny de Roure (PT) abandone a vida política e se torne conselheiro do TCDF.

O vice, Agaciel Maia (PTC), é cotado para disputar vaga na Câmara Federal.
Eliana Pedrosa (PSD) fala abertamente em concorrer a cargo mais elevado (até mesmo o governo), assim como pensa o petista Chico Leite.
Pode não ser confirmado, mas fala-se que a petista Arlete não estaria disposta a voltar para a Câmara Legislativa. Quem pensa assim é Liliane Roriz (PSD), que deve mesmo tentar um vôo mais alto, assim como o atual secretário de Justiça, Alírio Neto (PEN). E Olair Francisco (PTdoB) queria ser candidato a governador, mas já se conforma em concorrer ao Senado.
Rôney Nemer, do PMDB, está com campanha pronta para deputado federal, situação que pode ser seguida por outros nomes, ainda sem definição nesse sentido. É o caso de Garla, do PRB.
Na CLDF, pode ser mais ou menos garantida a reeleição de Joe Valle, Chico Vigilante, Celina, Cristiano Araujo, Dr. Michel, entre outros. Há ainda na disputa o neopetista Cláudio Abrantes, Raad, o ex-cabo Patrício, Israel, Robério, Washington Mesquita e Welington Luiz, além de Ailton Gomes e Benedito Domingos. Muitos desses não conseguirão sucesso.
Mas podem ter certeza: a renovação tende a ser superior a 50%. Para cada deputado distrital eleito o partido deverá garantir quociente eleitoral acima de 80 mil votos, o que não é fácil.    

Blog do Riella.

 

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: