Administradores regionais na corda bamba.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


O bicho tá pegando para os administradores regionais. Uma pesquisa interna do GDF aponta os bons e os maus chefes das cidades. Esta pesquisa soma dois tipos de dados: informações como as obras em curso e de pesquisas de opinião. No geral, a situação deles está complicada, já que o índice de reprovação é bem maior que o de aprovação.
Bem na fita…

Do lado dos bem avaliados estão os administradores Antônio Sabino, do Cruzeiro, Bolivar Rocha, de Brazlândia ,Ari de Almeida ,Ceilândia e João Hermeto, de Candangolândia.
Medianos A maioria fica abaixo dos 50%, mas alguns estão neste patamar, como José Risomar, de Samambaia. Ele tem 47% de aprovação.
Imagem negativa
Na mesma pesquisa, as opiniões são ruins para os administradores do Itapoã, Estrutural e Sudoeste. Eles estão com baixíssimos índices de aprovação. E neste caso há uma curiosidade: 70% dos entrevistados afirmam que sequer têm dados que permitam fazer uma avaliação. Ou seja, estes não mostram nada de obras para os moradores darem uma nota. Ficou feio hein!!!
Cidade mais bem avaliada
Por ser uma cidade enorme,Ceilândia apresenta índices diferentes de aprovação que varia entre 92% e 27%. Isso vai depender se no local houver obras em andamento.
Desestruturada
A rejeição na Estrutural – com apenas 16% de aprovação – pode ser explicada quando se ler a reportagem que foi escrita pelo jornalista Elton Santos no jornal Guardião Notícias. A matéria traz diversos problemas na gestão de Maria do Socorro Torquato – que é esposa do deputado federal Roberto Policarpo (PT). Um deles é a construção de uma ciclovia de R$ 100 mil que está abandonada e incompleta. Ninguém usa por que ela não tem uma continuação e o mato está alto.
Mais problemas
Na mesma reportagem é apontada a mudança de destinação de áreas que era para construção de creches públicas e foram erguidas outras obras. E é interessante que não há nenhuma creche no local, apesar da própria população ter colocado no Orçamento Participativo como prioridade.
Por Celson Bianchi/ Rádio 104 FM

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: