Agnelo perde ação na justiça para jornalistas.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

O governador Agnelo Queiroz perdeu também em segunda instância a ação que moveu contra os jornalistas Andrei Meireles e Marcelo Rocha, da revista Época, que investigaram a compra, por ele, de uma mansão no Lago Sul.
Derrotado em primeira instância — a juíza condenou-o inclusive a pagar indenização aos dois profissionais — Agnelo recorreu ao Tribunal e teve seu recurso negado. Inconformado, entrou com Embargos de Declaração, e agora, passados três anos, o governador sofreu mais um revés na Justiça do DF. A 1ª Turma Civil, composta por três desembargadores, negou por unanimidade a pretensão do governador. A juíza que absolveu os dois jornalistas e condenou Agnelo teve a sentença confirmada.
Negócio não foi explicado

Só para lembrar, foi em 2010, quando Agnelo era pré-candidato ao Buriti, que a revista Época publicou matéria com o titulo “um candidato muito enrolado” discorrendo sobre a evolução patrimonial do governador. De acordo com Época, Agnelo comprou uma casa em 2007 por R$ 400 mil, poucos meses após deixar o cargo de ministro do Esporte. Um ano antes, em 2006, seu patrimônio total somava R$ 224 mil.  Na ocasião, Agnelo se disse vítima de adversários políticos do próprio PT e processou os dois repórteres. Seus problemas só começavam.  Na ação, ele foi instado pela Justiça a provar que a revista estava errada ao levantar suspeitas, mas não conseguiu. O governador não apresentou documentos que comprovariam a regularidade da compra da casa, em uma chácara do valorizado Setor de Mansões Dom Bosco, no Lago Sul.

Informou Eduardo Brito / Do alto da Torre / Jornal de Brasília

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: