ALSTOM E SIEMENS TERIAM FEITO ACORDO NO DF, DIZ FONTE.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Multinacionais entraram na disputa pelos serviços de manutenção do Metrô

Gilberto Nascimento, do R7

Em Brasília, a Alstom e a Siemens teriam feito acordos durante a disputa pela obtenção dos serviços de manutenção do Metrô, segundo a testemunha F., contatada pelo R7, que afirma ter acompanhado de perto contratos firmados pelas duas multinacionais com empresas públicas. F., que se mantém no anonimato, é autor de denúncias encaminhadas ao Ministério Público de São Paulo e à Siemens na Alemanha.  Dois engenheiros da Alstom, Luis Antonio Taulois da Costa e Ben-Hur Coutinho Viana de Souza – que depois passaram a trabalhar para a Siemens -, também teriam ajudado técnicos do Metrô de Brasília a escrever o edital de licitação de um contrato de manutenção, de acordo com a testemunha.
– O edital foi escrito de uma forma a assegurar à empresa uma pontuação máxima e, com isso, uma vitória independentemente do preço dos concorrentes, afirma.
De acordo com F., somente os dois técnicos da Alstom que trabalhavam no projeto, Taulois e Souza, poderiam atender às exigências do edital. Os dois se tornaram depois gerentes do consórcio Metroman – formado pela Siemens e pela Serveng-Civil -, responsável pelo fornecimento de materiais para o sistema metroviário do Distrito Federal.
A Siemens negou ter feito contrato em parceria ou consórcio com concorrente para a manutenção de metrôs, “em particular o Metro de Brasília”. O consórcio para a construção do metrô de Brasília foi liderado pela Alstom.
A Alstom afirmou em um comunicado que segue “um rígido código de ética, definido e implementado por meio de sérios procedimentos, de maneira a respeitar todas as leis e regulamentações mundialmente”. A empresa disse que está colaborando com as investigações e “até o momento, as suspeitas de irregularidades em contratos não foram comprovadas e não estão embasadas em provas concretas”.
Já o Metrô-DF afirmou, em nota, que desconhece as irregularidades apontadas e que “a licitação foi acompanhada em todas as suas etapas pelos órgãos de controle externo, em especial o Tribunal de Contas do Distrito Federal”. Veja a íntegra da nota:
“O Metrô-DF desconhece as supostas irregularidades apontadas anonimamente pela reportagem do Portal R7 e, ressalta que:
– O processo de licitação para a manutenção do Metrô-DF (transcorrido em gestão anterior), seguiu a modalidade de licitação de concorrência pública tipo técnica e preço, sendo que no primeiro aspecto as duas empresas finalistas receberam a pontuação máxima;
– No quesito preço, o consórcio Metroman apresentou a melhor proposta (menor preço), vencendo então a licitação;
– A licitação foi acompanhada em todas as suas etapas pelos órgãos de controle externo, em especial o Tribunal de Contas do Distrito Federal;
– O consórcio Metroman vem atendendo satisfatoriamente todas as demandas de manutenção apresentadas pelo Metrô-DF.
Coordenação de Comunicação do Metrô-DF”

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: