Alunos do Centro de Ensino Médio 2 de Ceilândia se destacam em aprovação no PAS

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


[Agência Brasília] A
influência dos professores foi determinante para a escolha acadêmica dos amigos
Alessandro Almeida Souza e Vitor Bruno da Silva, estudantes do
 Centro
de Ensino Médio 2 de Ceilândia
. Aos 17 anos, os jovens, que estudam juntos desde o ensino
fundamental, vão cursar química na Universidade de Brasília (UnB). “Nos
apaixonamos pela disciplina e quisemos seguir a carreira pela admiração ao
nosso professor do ensino médio”, conta Alessandro.

Para
Vitor, outro apoio foi essencial para realizar o sonho de passar no Programa de
Avaliação Seriada (PAS) da instituição. “No início eu não levava as provas tão
a sério, mas meus pais não me deixaram desistir, sabiam que, se eu continuasse,
conseguiria a vitória”, confessa o morador de Ceilândia. Os colegas que agora
estudarão juntos na universidade sonham em se tornar professores e peritos.
Eles integram o grupo de 46 representantes da unidade educacional aprovados em
primeira chamada na seleção da UnB, de acordo com a Secretaria de
Educação.

Assim
como eles, o adolescente Mateus Ribeiro, de 17 anos, se espelhou em um
professor para definir o que queria fazer no futuro. “Vou cursar história e
quero fazer mestrado e doutorado”, planeja o jovem. A colega de sala Kananda
Gabryelle dos Reis, de 17 anos, passou para o bacharelado em terapia
ocupacional. “Meu objetivo é ajudar as pessoas, fazer a diferença na vida de
alguém”, diz a jovem.

Para
garantir uma vaga na área da saúde, a rotina de Kananda era estudar pela manhã
na escola, fazer as tarefas do dia e revisar o conteúdo à tarde. Além disso,
ela e os meninos assistiram às aulas do #BoraVencer Intensivão,
projeto da Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e
Juventude que ofereceu preparação gratuita para o Exame
Nacional do Ensino Médio (Enem), de setembro a novembro de 2016.

Prestes a
entrar no ensino superior, os alunos já sentem saudades da escola. “Vamos
sentir falta dos professores, do clima, do espaço e da galinhada servida da
cantina”, brinca Mateus. “Sem dúvidas ela [escola] foi fundamental para que
conseguíssemos conquistar essas vagas”, completa Kananda.

Destaques
entre as escolas da rede pública do DF

Os
estudantes da rede pública preencheram 879 das 2.025 vagas oferecidas pela
instituição federal, o equivalente a 43,4%. Com 46 aprovados, a escola de
Ceilândia foi uma das que mais tiveram alunos selecionados. O diretor Wilson
Venâncio, à frente da unidade há 16 anos, destaca o trabalho da equipe em
incentivar os estudantes para além do conteúdo, com foco em aulas de redação e
nos simulados aplicados ao longo do ano. “O objetivo era transformar a prova em
algo corriqueiro, sem surpresas, e prepara-los para ir longe.”

Além de
Ceilândia, as unidades de ensino que mais se destacaram no número de aprovações
foram os Centros de Ensino Médio Setor Leste e Setor Oeste, ambos no Plano
Piloto, com 64 e 55 estudantes selecionados pela UnB, e o Centro de Ensino
Médio Taguatinga Norte, com 49 aprovados.
Para o
diretor da instituição de Taguatinga, Adriano Moura Neradil, o resultado também
é fruto de projetos que abordam não só os conteúdos das disciplinas, mas a
cidadania. “Cobramos muito, de forma que o estudante tenha consciência da
importância do exame e que tenha a vontade de se tornar um cidadão completo”,
diz o educador.

Para o secretário de Educação,
Júlio Gregório Filho, o resultado é a soma da dedicação dos estudantes às
políticas de incentivo aos pré-vestibulandos, como os cursinhos sociais e a
promoção de simulados da prova da UnB para todo o sistema educacional do DF,
por meio do programa Por Dentro dos Exames do Ensino Médio, lançado em 2015.

“Ficamos muito felizes ao vermos o crescimento dos nossos
alunos na UnB”, diz o titular. Outro ponto de destaque em 2017, segundo o
secretário, é o perfil dos cursos nos quais os alunos foram aprovados. “Além
das aprovações comuns nas áreas de humanas e educação, percebemos um aumento
significativo na procura pelas ciências e pelas engenharias”, destacou Filho.
Só para as opções de engenharia, 138 alunos conquistaram vagas.

Outros cursos que mais receberão alunos da rede pública em
2017 serão, pedagogia (35), ciências contábeis (30), farmácia (28) e
administração (25).

Neste ano, o objetivo da pasta da Educação é manter os
programas e assegurar o caráter abrangente das medidas para os estudantes da
rede. “Continuaremos aprofundando essas políticas para estimular e preparar os
alunos para o mundo do trabalho”, reforça o secretário.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: