Auditoria na Fácil aponta irregularidades no sistema de bilhetagem no DF

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Uma auditoria na Fácil apontou irregularidades no sistema de bilhetagem automática no Distrito Federal. A Corregedoria-Geral do DF iniciou as investigações em 2010 e constatou que não havia controle da Fácil sobre as operações nos ônibus. Entre as formas de uso inadequado, estavam a utilização do benefício em dias não permitidos (domingos e feriados), número de viagens diárias acima do legal e uso do mesmo cartão por várias pessoas. Para completar, também não era possível saber o número de estudantes habilitados para receber o crédito.

Em entrevista ao Correio Braziliense, o secretário de Transparência e Controle do DF, Carlos Higino, afirmou que as falhas no cadastro foram uns dos motivos responsáveis pela falta de controle. “Qualquer pessoa fazia esse cadastro e muitas vezes eram cidadãos que não deveriam receber o passe estudantil”, disse Higino. O secretário informou ainda que não houve prestação de contas consistentes sobre as despesas operacionais, por parte da Fácil.

As investigações feitas em maio do ano passado verificaram os contratos, pagamentos em geral e cadastros feitos na empresa. De acordo com o secretário, os estudos estavam prontos desde o início do ano. A primeira medida tomada foi a exclusão de pessoas cadastradas de forma irregular (permitiam a utilização de cartões por terceiros ou não eram estudantes). Além disso, haverá recadastramento de todos os beneficiários do crédito.

A Secretaria de Transparência e Controle do DF informou que outras medidas serão tomadas pela Transporte Urbano do DF (DFTrans). “Nossa função é apenas fazer as auditorias e constatar o que estiver errado. Em relação às atitudes necessárias para consertar a situação, são responsabilidade de outros órgãos”, completou Carlos Higino.

A assessoria do DFTrans informou que o órgão vai retomar todos os serviços que antes estavam sob a responsabilidade da Fácil, como por exemplo a gestão do Passe Livre Estudantil. A decisão foi tomada no dia 25 de março e o departamento espera concluir a transferência da gestão dentro de 90 dias, ou seja, até 26 de junho, para então assumir as tarefas. Entre as responsabilidades, estão a comercialização e atualização de crédito, fiscalização da quantidade de passageiros transportados por linha, quilometragem dos ônibus e outras.

O diretor do DFTrans, Marco Antônio Campanella informou que o órgão passará a ter um controle mais efetivo do sistema e garantiu que o usuário não será prejudicado. “O que nós esperamos é, assim que o processo de transferência for concluído, melhorar o atendimento para os usuários criando novos produtos, por exemplo, além da implantação de novos postos de carga e recarga”,explicou Campanella. 

Do Correio Braziliense

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: