Explosão da violência força governo a aumentar segurança em áreas críticas do DF

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

[Agência Brasília] As oito regiões
administrativas mapeadas em levantamento da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social como mais críticas — Ceilândia,
Estrutural, Planaltina, Plano Piloto, Samambaia, Santa Maria, São Sebastião e
Taguatinga — receberão reforço de ações integradas das quatro forças de
segurança (Polícias Militar e Civil, Departamento
de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) e Corpo de Bombeiros Militar).
O foco será a juventude, com iniciativas em horários e locais com maior
incidência de crimes, a exemplo de pontos de ônibus.

Parte do programa Viva Brasília — Nosso Pacto pela Vida, a
medida foi anunciada pela secretária Márcia de Alencar Araújo, na tarde desta
segunda-feira (19), antes do início da reunião para detalhar as ações. Os
comandantes dos batalhões da Polícia Militar das oito regiões e o
comandante-geral, coronel Marcos Antônio Nunes, participaram do encontro.

“Os jovens que estão mais
vulneráveis, nas áreas mais sensíveis de Brasília, são o nosso foco das
estratégias para o próximo trimestre. Nós sabemos que o pico da criminalidade
tem uma faixa etária, que envolve a juventude”, detalhou a secretária. De
acordo com ela, foram apontados aproximadamente 3,6 mil jovens responsáveis por
uma quantidade significativa de reincidências criminais.

A faixa etária dos envolvidos,
segundo Márcia, varia de 16 a 24 anos, e a maioria dos delitos cometidos
envolve roubo de celular. “Eles só se deslocam de seus ambientes e passam o dia
replicando sua ação em outros lugares.” Quanto ao horário em que os crimes
costumam ocorrer, há uma variação a depender de cada local. Na Estrutural, por
exemplo, os intervalos das 5 às 8 horas e das 17 às 20 horas são os com mais
registros.

Atenção especial para faixa
etária dos envolvidos

As ações pensadas para
diminuir os crimes contra patrimônio nas oito áreas já anunciadas não se
resumem a práticas das forças de segurança. “Essa faixa etária hoje vai ter uma
atenção especial, seja no sistema socioeducativo, na rua, na escola”, explicou
a secretária.

Na semana passada, a pasta reuniu-se para definir um plano de segurança integrado para a
Estrutural e o Plano Piloto, mais especificamente o Setor Comercial Sul
.
O planejamento inclui, por exemplo, o reforço em projetos sociais do Corpo de Bombeiros Militar —
Bombeiro Mirim e o Bombeiro nas Quadras.

Reestruturação dos batalhões
de Polícia Militar

Uma das medidas que
possibilitará as ações planejadas pela secretaria com as forças de segurança é
a reestruturação iniciada pela Polícia Militar em seus batalhões. A iniciativa,
segundo o comandante-geral, resultou na abertura de 11 novas unidades e deve
tirar da área administrativa para as ruas de Brasília pelo menos 800 policiais.
Em reunião no início desta tarde, Nunes explicou a medida para os presidentes
dos conselhos comunitários de segurança.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: