Bancários do DF aprovam greve a partir da próxima terça (30)

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Em resposta aos seguidos ‘nãos’ dos banqueiros nas rodadas de negociações, os mais de 3 mil bancários e bancárias do Distrito Federal aprovaram, por ampla maioria, na noite desta quinta-feira (25), em assembleia realizada na Praça do Cebolão, no Setor Bancário Sul (SBS), indicativo de greve a partir da próxima terça-feira (30). 



“Os banqueiros tiveram mais de 30 dias para apresentar uma proposta à altura do esforço dos bancários. Diante das constantes negativas para as nossas reivindicações, não restou alternativa senão aprovar a greve por tempo indeterminado a partir do próximo dia 30. Apostamos no diálogo, mas os banqueiros não demonstraram interesse em negociar com a categoria”, afirmou o presidente do Sindicato, Eduardo Araújo, que integra o Comando Nacional dos Bancários e representa os bancários de Brasília nas negociações com a Fenaban.

Durante a sétima rodada de negociações da Campanha Nacional 2014, realizada na sexta-feira (19), o Comando Nacional dos Bancários considerou insuficiente a proposta de caráter econômico apresentada pela Fenaban, que inclui reajuste de 7% no salário (0,61% de aumento real), na PLR e nos auxílios refeição, alimentação e creche, além de 7,5% no piso (1,08% acima da inflação).
A greve é o último recurso de que os trabalhadores lançam mão, depois de esgotadas as negociações, para ver seus direitos ampliados e respeitados. É um direito garantido por lei e a principal arma para conquistar melhores condições de trabalho e salário, contra patrões intransigentes e gananciosos. 



Nova assembleia segunda 29

E na próxima segunda-feira (29), nova assembleia na Praça do Cebolão, às 19h, definirá os rumos do movimento. Na ocasião, os bancários e bancárias devem ratificar a decisão da assembleia desta quinta e organizar a greve por tempo indeterminado a partir da próxima terça-feira (30).
Confira, abaixo, as principais reivindicações dos bancários:
– Vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$ 724,00 ao mês para cada (salário mínimo nacional);



– Melhores condições de trabalho: com o fim das metas abusivas e do assédio moral que adoecem os bancários;

– Emprego: fim das demissões e da rotatividade, mais contratações, proibição às dispensas imotivadas, aumento da inclusão bancária, combate às terceirizações diante dos riscos de aprovação do PL 4330 na Câmara dos Deputados, do PLS 087 no Senado e do julgamento de Recurso Extraordinário com Repercussão Geral no STF; Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS): para todos os bancários;
– Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós;
– Reajuste salarial: 12,5%;
– PLR: três salários mais R$ 6.247;
– Piso: R$ 2.979,25 (salário mínimo do Dieese em valores de junho);
– Prevenção contra assaltos e sequestros: cumprimento da Lei 7.102/83, que exige plano de segurança em agências e PABs; de cofres e agências por bancários;



– Igualdade de oportunidades para todos, pondo fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transexuais e pessoas com deficiência (PCDs).
Sindicato dos Bancários do DF

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: