Benedito Domingos aluga van por R$ 33 mil de ‘empresa fantasma’

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

O deputado distrital Benedito Domingos (PP) alugou entre janeiro e junho deste ano uma van de uma empresa que supostamente não trabalha com locação de veículos e que não funciona nos endereços cadastrados. O contrato, de R$ 5,5 mil mensais, foi pago com a verba indenizatória do parlamentar. O valor total do serviço foi de R$ 33 mil.
Os dados do grupo NIE, especificado na nota fiscal, não conferem. O endereço da empresa, na QNF 18, em Taguatinga Norte, é de uma distribuidora de etiquetas. O telefone não funciona. O dono da distribuidora e moradores da área disseram desconhecer a existência de uma locadora de veículos no local.

A assessoria do deputado informou que a van foi usada para atividades parlamentares e que os dados incorretos na nota fiscal são de responsabilidade do dono da empresa.
No site do Ministério da Fazenda, nenhuma das atividades cadastradas como de função da NIE são relacionada à locação de veículos, mas sim à construção e fabricação de serviços gráficos.
O endereço fornecido no site também não é o mesmo da nota fiscal – fica na Colônia Agrícola de Vicente Pires. No local, no entanto, não há nenhuma locadora ou loja do grupo NIE. Moradores da área também desconhecem a existência da empresa.
O dono da van, Edimar Oliveira, afirmou que o telefone da empresa está cortado e que o grupo funcionou no local até dezembro do ano passado, em Taguatinga. Ele disse que o veículo é dele, mas que não tinha como emitir notas para o deputado como pessoa física, por isso usou o nome da empresa.
Em outubro, o deputado Benedito Domingos foi condenado pelo Conselho Especial do TJ por corrupção passiva, formação de quadrilha e fraude em licitação.  O pedido de quebra de decoro parlamentar será analisado pela Comissão de Ética da Câmara Legislativa.

Locadora em pizzaria

Em setembro, a Corregedoria da Câmara Legislativa abriu processo para investigar suspeitas de irregularidades na locação de uma caminhonete de luxo pelo presidente da Comissão de Ética da Casa, Doutor Michel (PEN). A empresa que fez o aluguel do veículo para o parlamentar funciona em uma pizzaria.

Desde 2011, o deputado gastou R$ 108 mil com o aluguel do veículo. Em 2012, ele também pagou o IPVA, o seguro e o licenciamento da caminhonete.
O parlamentar informou que pagou os impostos do carro quando a lei distrital ainda permitia. Ele também afirmou que a empresa funciona na casa do proprietário e que vai pedir a correção dos dados da nota fiscal. O dono da empresa não atendeu às ligações da reportagem.
Lote vazio

Entre fevereiro e julho, o presidente da Câmara Legislativa, Wasny de Roure (PT), gastou R$ 29,5 mil com 118 diárias de locação de veículo. No endereço da nota fiscal, havia um terreno vazio. O telefone da empresa também estava programado para não receber chamadas.

À época, o deputado disse que a nota fiscal estava errada e que a locadora funcionava em outro endereço. Ele afirmou que iria cobrar da empresa a correção dos dados.
Pelo celular informado pela assessoria do deputado, o representante da locadora informou que vai construir a sede da empresa no lote vazio. Até lá, o escritório funciona na casa dele, no mesmo condomínio.
Gastos milionários

Nos primeiros sete meses do ano, os deputados distritais gastaram com combustível R$ 408 mil. O valor é suficiente para comprar 136 mil litros de gasolina. Pela média de consumo de 1 litro para cada 10 quilômetros, os parlamentares poderiam ter percorrido mais de 1,3 milhão de quilômetros, o suficiente para dar 32 voltas na terra. Na média, é como se cada deputado tivesse rodado mais de 7 mil km por mês.

Somando salário, cota para contratar funcionários, auxílio-alimentação e verba para gastos de gabinete, como gasolina e aluguel de carros, cada um dos 24 deputados distritais recebe, por mês, R$ 157 mil de verba indenizatória.
Informou o G1

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: