Boas notas e talento para o esporte são caminhos para conseguir bolsa de estudo no exterior

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


[Artigo Patrocinado] O
grande dilema de todo adolescente que pratica alguma modalidade esportiva é
decidir se abandona o sonho de ser um atleta profissional para se dedicar aos
estudos ou se dedica toda seu tempo e energia exclusivamente ao esporte. Essa é
uma dúvida que tira o sono de muitos jovens e pais mas hoje unir o amor ao
esporte com a responsabilidade escolar tem sido um caminho percorrido por
muitas famílias rumo ao sonho de estudar no exterior. E o que é melhor: com
todas as despesa pagas.

Os
Estados Unidos é o país que mais atrai os jovens que acalentam esse sonho.
Conhecido por sua longa tradição de unir educação ao esporte,
lá as escolas e universidades permitem e incentivam que os estudantes possam
competir em diversas modalidades sem deixar a formação educacional de lado.
Estrangeiros, com boas notas e talento no esporte, são beneficiados com bolsas
de estudo integrais. O brasileiro Rodrigo Miranda, de 18 anos, foi um dos que
embarcaram rumo à Terra do Tio Sam.

Desde
pequeno, ele se destacava nos campos de futebol, mas nunca pensou que pudesse
viver do seu talento. Só em 2014, quando um amigo foi para os EUA, ele ficou
sabendo que isso seria possível. Em agosto de 2015, Rodrigo já estava
embarcando para viver um ano no exterior. “Eu não sabia se iria ficar, era mais
um momento de adaptação”, relembra. No ano em que viajou, o estudante ainda
estava no High School – conhecido como ensino
médio
aqui no Brasil e, por causa do seu desempenho tanto nas
notas escolares como no esporte, assim que conclui o colegial, foi convidado
para fazer a sua graduação
em 20 universidades diferentes. “Eu selecionei cinco até decidir ficar na
University of Pittsburgh, na Pensilvânia, e vou estudar com 100% de bolsa”, vibra.

Por
enquanto, Rodrigo está de férias aqui no Brasil mas, assim que voltar para a
Pensilvânia, já vai retomar os estudos. Segundo ele, as universidades de fora
funcionam de uma forma diferente. “No primeiro ano, os assuntos são mais
gerais, só depois começamos a pegar as matérias mais especificas”, explica. O
estudante que pretende seguir a carreira de Administração
voltada para o ramo da tecnologia se sente muito feliz com a oportunidade que
está tendo. “Sinto que tomei a decisão certa. Estou me preparando para o
mundo”, define.

A
virada na vida de Rodrigo só foi possível com o apoio dos pais e a ajuda do
Grupo Brazil World, uma empresa especializada em revelar novos talentos e
emplacá-los em escolas e universidades do exterior. Desde 2010, a empresa
iniciou a preparação dos estudantes e a ida deles para o exterior. Mas tudo só
começou porque um dos sócios, Antônio Gonçalves, também passou pelo processo de
recrutamento quando era adolescente. Nos Estados Unidos, ele se formou em Educação
Física
com especialização em Negócios e decidiu fundar a
empresa para ajudar a outros jovens a ter a mesma experiência enriquecedora.

Hoje,
a empresa que tem sede em Recife, mas atua em todo país. Segundo Thiago
Vasconcelos, diretor executivo do Grupo Brazil World, eles não oferecem a
oportunidade apenas para os jovens que tem algum talento esportivo, mas
trabalham também com os que se destacam somente na área acadêmica e também
possuem o desejo de estudar fora. “Criamos um cursos preparatório que auxilia
na etapa de admissão e também no exame de proficiência”, explicou o diretor
executivo.



O
Grupo Brazil Word trabalha com estudantes de várias modalidades esportivas. Os
mais fortes são o basquete, futebol, tênis e natação. Por ano, são enviados, em
média, 60 estudantes. “Incentivamos a educação e focamos no talento das
crianças. É dessa forma que funciona”, explica Vasconcelos. O investimento para
conseguir estudar no exterior é muito alto. A maior parte das famílias não tem
condição financeira de arcar com as despesas. “Pagar uma faculdade lá fora é um
investimento alto. Por isso, preparamos os estudantes para que eles consigam
boas notas e, com isso, sejam beneficiados com bolsas de estudo e, assim,
realizar seu sonho”, concluiu Thiago.

O
ensino superior gratuito não existe nos Estados Unidos e estudar em universidade
dos país custa em média 60 mil dólares por ano. Para uma família de classe
média brasileira, arcar com essa mensalidade é quase impossível. Anualmente,
são concedidos 3 bilhões em bolsas-atléticas. As bolsas por mérito acadêmico
somam 11 bilhões. Zaira Vasconcelos, mãe de Rodrigo, também não teria condições
de arcar com a mensalidade escolar do filho nos Estados Unidos. “A bolsa
de estudo
foi uma grande ajuda. Além da faculdade, ela também
inclui moradia, alimentação, material e seguro saúde”, acrescenta.

Na
opinião da administradora, a saudade é o sentimento mais difícil de lidar.
“Foram três anos de constante evolução, tanto dele quanto nossa”. Em todo
momento Zaira fez questão de incentivar a ida do filho e contou que a
tecnologia ajudou bastante na hora do aperto no peito. “O celular foi algo bem
positivo nesse sentido, ajudou muito no processo de adaptação”, explicou.

A
família de Rodrigo não teria condições de arcar com todos os custos necessários
para sua vivência lá fora. Foi a boa educação oferecida a ele quando ainda
morava no Brasil que foi decisiva para que essa trajetória de sucesso fosse
possível. A administradora contou que se sente realizada por sempre ter tido a
preocupação de investir em instituições de ensino de qualidade para o seu
filho. “Rodrigo sempre estudou em boas escolas e, além disso, eu sempre me fiz
presente para acompanhar todas as suas dificuldades”, concluiu.

Muitos
jovens possuem o talento mas a falta de um estudo de qualidade impede o seu
desenvolvimento. Investir em uma boa educação é o primeiro passo para que as
portas sem abram. Aqui no Brasil existem instituições que também têm a missão
de favorecer a inclusão educacional através da concessão de bolsas de estudo.
Um deles é o Educa Mais Brasil. O programa educacional possui parceria com mais
de 18 mil instituições de ensino e oferece bolsas de até 50% para educação
básica
. Você pensava que nunca poderia oferecer uma educação
de qualidade para o seu filho? Não perca tempo. Acesse o site do Educa Mais
e confira todas as oportunidades da sua região. A inscrição é gratuita!
Fonte:
Bárbara Maria – Ascom Educa Mais Brasil

Veja mais:

LEIA TAMBÉM -   SiSU 2019 disponibiliza 59 mil vagas para o segundo semestre a partir de amanhã (04)

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: