Casos de homicídios e roubos a residência aumentaram no DF

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


Mais pessoas foram
assassinadas no Distrito Federal no mês passado em comparação ao mesmo período
de 2017. Foram 38 homicídios em maio, contra 31 no mesmo mês do ano passado.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});


Um dos casos foi da menina de
cinco anos, Maria Eduarda (foto), morta com um tiro na cabeça na garagem de casa, em
Ceilândia. Três adolescentes suspeitos do crime foram presos e um adulto está
foragido.

Além do aumento dos
assassinatos, os roubos as residências também cresceram. Em maio deste ano
foram 66 e, em 2017, 63. Mas os registros de estupros, que vinham aumentando,
caíram nos últimos 30 dias. Foram 34 ocorrências formalizadas nas delegacias de
polícia em maio. Já no mesmo mês de 2017, foram 71 casos.

Os dados foram divulgados pela
Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal nesta sexta-feira, durante
balanço da criminalidade. O secretário da pasta, Cristiano Sampaio, explica
porque os homicídios aumentaram.

Ele detalha as razões para os
registros de estupros terem diminuído no mês passado.

Dos 34 estupros registrados em
maio, 21 ocorreram contra menores de idade por pessoas que tinham vínculos com
as vítimas. Entre os crimes que mais preocupam os trabalhadores que dependem do
transporte público, estão os roubos em ônibus, que diminuíram mais de 41% em
maio em comparação ao ano passado.

Já os furtos e roubos a
veículos caíram mais de 20%. Os crimes contra o patrimônio de comerciantes e
pedestres reduziram mais de 15%.

Fonte: EBC 
Imagem reprodução internet

Veja mais:

LEIA TAMBÉM -   Delegada Adriana Romana: a missão de um atendimento de excelência em Ceilândia

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: