CEF 12 de Ceilândia é finalista em Prêmio Nacional de Educação em Direitos Humanos

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


Este ano, como parte do Projeto Mulheres Inspiradoras, os alunos e as alunas dos 9º anos, do CEF 12 de Ceilândia foram convidados a conhecer a biografia de grandes mulheres que entraram para a história do Brasil e do mundo. Eles pesquisaram, debateram e refletiram sobre história de vida de Anne Frank, Carolina Maria de Jesus, Cora Coralina, Irena Sendler, Lygia Fagundes Telles, Malala, Maria da Penha Fernandes, Nise da Silveira, Rosa Parks e Zilda Arns.

Como o projeto foi sistematizado para privilegiar a leitura e a escrita, eles leram seis obras de autoria feminina: O Diário de Anne Frank, Eu sou Malala, Quarto de Despejo – Diário de uma favelada, de Carolina Maria de Jesus, e Só por hoje eu vou deixar o meu cabelo em paz, Não vou mais lavar os pratos e Espelhos, Miradouros, Dialéticas da Percepção, esses três últimos de Cristiane Sobral.


Outra ação importante do projeto foi colocar os alunos em contato com mulheres de Brasília e de Ceilândia que tiveram atuação expressiva em favor de suas comunidades. Nessa perspectiva foram entrevistadas: Patrícia Melo Pereira, médica especialista em medicina comunitária, Madalena Torres, professora da Secretaria de Educação- SEEDF que atua como voluntária na Educação Popular, presidindo o CEPAFRE, integra a equipe de Coordenação colegiada do Movimento Popular por uma Ceilândia Melhor (MOPOCEM), Creusa Pereira dos Santos Lima, professora aposentada da SEEDF que dedicou anos à alfabetização de crianças em Ceilândia, e Cristiane Sobral, atriz, escritora, cantora, professora e coordenadora de Modernização na Fundação Cultural Palmares/MinC, onde participa de vários comitês governamentais, de Comissões de Avaliação e atua como parecerista com expertise na cultura negra, sendo também Membro do Conselho de Defesa dos Direitos do Negro do DF e membro do Sindicato dos Escritores do DF.

Os alunos e as alunas também foram convidados a escolher uma mulher do seu círculo de convívio que consideram inspiradora, entrevistaram-na, gravaram a entrevista e com a orientação e supervisão da professora Gina Vieira Ponte de Albuquerque, autora do projeto, produziram um texto no qual narram a história de vida dessa mulher.

A maioria dos alunos e das alunas elegeu, como inspiradora, suas mães, avós e bisavós. Com a atividade, todos puderam conhecer melhor suas origens e os grandes feitos das mulheres que são parte de sua vida. Muitos declararam que desconheciam detalhes importantes da história de suas mães, avós e bisavós que, ao que eles puderam descobrir, foram grandes guerreiras na defesa de suas famílias e na luta pela sobrevivência.

Uma vez que o projeto teve como um de seus objetivos chamar a atenção para os alarmantes índices de violência contra a mulher, no Brasil, a escola criou ainda a campanha nas redes sociais: “Nós dizemos NÃO a qualquer forma de VIOLÊNCIA contra a MULHER”. A campanha oportunizou aos alunos o conhecimento da Lei Maria da Penha.

O Projeto é agora finalista no Prêmio Nacional de Educação em Direitos Humanos promovido pelo Ministério da Educação. O objetivo do prêmio, bianual, é contribuir para a formação de uma cultura que defenda valores, atitudes e práticas sociais que respeitem os direitos dos cidadãos na sociedade.

O CEF 12 de Ceilândia concorreu com escolas de todo o Brasil e, no dia 24 de novembro, na segunda feira, às 13h 30, participará da Cerimônia de Premiação no auditório do Edifício Sede do MEC.
Matéria sugeria e enviada por professores do CEF 12

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: