Ceilândia 42 anos: Um ciclo virtuoso de desenvolvimento econômico

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


Ceilândia completa 42 anos no próximo dia 27 de março de 2013, fundada em 1971, tem uma população com mais de 600 mil habitantes o que a torna uma polo de atratividade econômica  para que deseja investir e buscar a realização de novos negócios.  Com mais de 8200 empresas com atividades comerciais diversificadas, já representa mais de 25% da arrecadação do ICMS no Distrito Federal.

 A cidade desponta, também, com uma atividade industrial com uma gama extensa de produtos, fabricando e fornecendo tintas e materiais de acabamento, produtos de limpeza, panelas de alumínio, calçados, vidros temperados, vassouras, móveis e tem uma forte atuação no ramo de artefatos pré-moldados de cimento que já atende as demandas da construção civil no Distrito Federal e região centro oeste, além de um ramo de empacotamento de alimentos que distribui açúcar, arroz, farinha e uma diversidade de enlatados como ervilha, café solúvel, milho, produtos consumidos pela população nas prateleiras do Distrito Federal e cidades do centro-oeste brasileiro. 


Todo este potencial socio-econômico, tem atraído investimentos que vão desde a construção civil, redes de fast food, escolas particulares, academias permitindo a ampliação dos negócios fruto, também, da melhoria do perfil socioeconômico da população.Nos últimos dois anos a cidade vem recebendo investimentos privados e do GDF que irão suprir em parte as demanda que este crescimento econômico exige. O centro da cidade irá receber um shopping center com mais de 200 lojas; uma escola técnica federal está sendo construída para formar 1800 anos por ano; construção de uma UPA, uma clinica da família e um centro de atendimento psicossocial para atender as demandas crescentes de saúde pública; construção de mais um batalhão de policia para fazer frente a carência de segurança pública; duas estações de metrô na região norte; um terminal rodoviário.


Mais investimentos


Ademais, o GDF já anunciou medidas de intervenção urbana e viária como o túnel no centro de Taguatinga que permitirá que o fluxo de veiculo vindo de Ceilândia ingresse diretamente na EPTG; para além desta intervenção, com recursos do PAC II, será construído um corredor de ônibus que ligará o antigo “buritinga” ao condomínio Sol Nascente em Ceilândia.  Como presente de aniversário a cidade ganhará a recuperação asfáltica de todas suas principais artérias viárias, o que trará mais conforto e fluidez ao trânsito. Outro evento que compõe este cenário de crescimento e que já vem impulsionando o desenvolvimento da região, e que se encontra em veloz construção, é o centro administrativo do GDF, entre Ceilândia e Taguatinga, complexo que abrigará a máquina do GDF na região que concentra mais de 70% da população do DF. 


Revisitando Ceilândia


Para o presidente da Associação Comercial de Ceilândia (ACIC), Clemilton Saraiva, toda esta ascensão social e econômica de Ceilândia traz consigo uma outra urgente necessidade, a revisitação do centro da cidade de forma a prepara-lo para oferecer mais oportunidades de negócio e prestação de serviço aos mais de 120 mil ceilandenses que movimentam a economia naquela região central. Saraiva, acredita que imóveis ocupados pela agência do BRB, escritórios da Caesb, agência do Banco do Brasil, restaurante comunitário e sede da 15ª DP são equipamentos públicos que precisam ser repensados e terem seus espaços colocados em licitação pública para que novos empreendimentos nasçam e propicie à população a oferta de mais empregos e mais prestação de serviços.


Desafio da preservação da memória 


Outro desafio, apontado pelo  presidente da ACIC, Clemilton Saraiva, frente a transformação urbana de Ceilândia é a preservação da memória da cidade para as gerações futuras, sendo assim, ele propõe que o espaço ocupado hoje pela caixa d’agua na região central seja transformado em museu da memória do”candangus ceilandenses” .  Para além, há uma outra preocupação, a implantação do Parque Ecológico de Ceilândia nas imediações da via de ligação Ceilândia-Samambaia, que permitirá que a população tenha acesso a uma infraestrutura para lazer e educação ambiental do ceilandenses.

ACIC

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: