Ceilândia: Crianças pediram para motorista de ônibus não entrar em viaduto, diz polícia

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Dois adolescentes já prestaram depoimento sobre o caso
A polícia Civil do Distrito Federal começou nesta quinta-feira (10) a colher depoimentos dos estudantes que estavam no ônibus onde amenina Giovana Moraes de Oliveira, de seis anos, morreu afogada nesta terça-feira (8). Segundo a polícia, dois adolescentes disseram que a maioria dos alunos pediu para que o motorista não seguisse pelo trecho alagado no viaduto. No momento do acidente, 25 alunos, com idades entre 6 e 16 anos estavam no veículo. Dois adolescentes já prestaram depoimento sobre o caso.   

Segundo o delegado responsável pelo caso, Mauro Leite, uma funcionária da escola da qual os alunos eram transportados vai prestar depoimento nos próximos dias.  
O motorista do ônibus, Francisco Carlos Rocha, prestou depoimento no dia do acidente e deve depor novamente, segundo a polícia. A intenção é confirmar informações sobre o fato de ele ter saído do ônibus nadando enquanto as crianças estavam dentro do veículo.  
O acidente
Giovana Moraes de Oliveira, de seis anos, morreu afogada dentro do ônibus escolar na noite desta terça-feira (8), após o veículo quebrar embaixo de um viaduto do metrô na EQNM 5/7 em Ceilândia (DF). A água da chuva inundou o veículo que estava lotado. Pelo menos 23 crianças e dois adultos foram resgatados de dentro do coletivo. Os bombeiros tiveram que retirar as crianças pelo teto. A menina chegou a ser atendida pelos socorristas, mas não resistiu e morreu.    
O Corpo de Bombeiros deslocou para o local cinco viaturas além de outras quatro do Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) para dar suporte ao resgate das vítimas. A maioria delas foi atendida em uma sala do Batalhão do Corpo de Bombeiros. Cinco crianças foram encaminhadas ao Hospital Regional de Ceilândia.    
Segundo testemunhas, a água chegou a dois metros e meio de altura, a ponto de cobrir o ônibus escolar. Desesperados, os familiares das crianças buscavam notícias e pareciam não acreditar no que tinha acontecido. Uma das crianças que estavam dentro do ônibus relatou o que viu.  
— O ônibus tentou passar embaixo do viaduto que estava cheio de água. Ai a água entrou no motor e provocou uma pane e saiu fumaça. Ai a água começou a subir muito rápido então uma pessoa tirou o teto solar e começamos a sair. Os maiores tentaram ajudar os menores.   
Segundo o delegado Mauro Leite, que investiga o caso, o motorista será indiciado por homicídio culposo quando não há intenção de matar. Ele, a monitora e os bombeiros já prestaram depoimento. Outros alunos serão ouvidos até o fim do inquérito que deve apontar as responsabilidades pelo acidente. 
Informou R7 / Imagem Reprodução

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: