Ceilândia EC cansa de errar, quebra o encanto e vence.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Alcione, ao fundo e à esquerda, fez o segundo gol do CEC

Alcione, ao fundo e à esquerda, fez o segundo gol do CEC


O Ceilândia começou a sua caminhada no Metropolitano 2012 com
vitória. Há várias maneiras de se ver uma partida de futebol. Uma
maneira está em dizer que em nenhum momento o Ceilândia viu a sua
vitória ameaçada pelo Legião.

Outra maneira está em dizer que se alguma
coisa poderia impedir a vitória do Gato esse coisa seriam os erros do
Ceilândia. O Legião era um time valente, mas visivelmente sem ritmo de
jogo.


O técnico Ricardo Oliveira botou em campo a equipe que iniciou o
treinamento na última segunda-feira, com Liel completando uma linha de
três zagueiros. O lateral Maurício, ainda longe da forma ideal, começou
pela direita.  O restante do time era basicamente o mesmo das outras
partidas, com Pedro no gol.


Dimba perde oportunidade. CEC pode fazer melhor

Dimba perde oportunidade. CEC pode fazer melhor


O primeiro tempo foi horrível do ponto de vista técnico. Pode-se
dizer que o gramado contribuiu. De qualquer forma o Ceilândia foi
melhor. Na essência criou poucas oportunidades de gol, duas para ser
verdade. Na primeira, Tety preferiu cavar o penalti. Não conseguiu e
ainda foi punido com cartão amarelo. Aos 35, Tety se redimiu. Em jogada
idêntica, apresentou-se nas costas da defesa adversária e cruzou para
Dimba. O atacante bateu de primeira e abriu o marcador. Antes, o
Ceilândia já havia colocado duas bolas nas traves do Legião.


Veio o segundo tempo e o jogo começou sonolento. O Ceilândia
encontrava muitas facilidades e se desconcentrou. Parecia que o Gato
tinha a posse de bola por prazer, mas sem objetividade. O Legião
aproveitou-se e rondou a área alvinegra. Tudo mudou aos 16, quando Fú
foi expulso e deixou o Legião com 10. A partir daí o Ceilândia  perdeu
seguidas oportunidades para marcar: duas com Daniel, duas com Dimba, uma
com Tety e outra com Gil Bala. Dessas ao menos três deixou jogadores do
CEC cara a cara com o goleiro adversário.


Daniel perde oportunidade: pode fazer falta no final

Daniel perde oportunidade: pode fazer falta no final


Dizem que quem não faz leva. Hoje não foi esse dia, como não foi o
dia de Tety. De qualquer forma, apesar de perder várias oportunidades,
foi dos pés do baixinho que sairam os dois gols. Aos 31, cruzou para
Alcione fazer de cabeça.


Depois disso o CEC passou a tocar a bola, sem maiores interesses. O
Legião, por sua vez, fazia de conta que não era com ele. Gil Bala estava
desesperado para jogar, mas o time sabia que não precisava: o jogo
estava definido.


Não foi um primor de vitória, mas foi uma vitória e vale três pontos.
O Ceilândia vai ter tranquilidade para trabalhar nos próximos dias e
quem sabe engrenar contra o Luziânia.


O CEC jogou com Pedro, Maurício (Alcione), Badhuga, Panda e Wallison
(Thiago Eciene). Liel, Daniel, André Oliveira e Rogerinho. Dimba e Tety
(Gil Bala).

Ceilandia EC

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: