Ceilândia: Max Maciel, coordenador da Central Única das Favelas (Cufa-DF), fará parte do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do DF.

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do DF, que será lançado hoje por Agnelo Queiroz, reunirá notáveis da cidade em prol do desenvolvimento da capital. Órgão seguirá modelo semelhante ao do governo federal.

Com o objetivo de elaborar novas ações para a capital da República, será lançado na noite de hoje o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do Distrito Federal. O grupo será formado por personalidades, autoridades e intelectuais representantes de movimentos sociais, da classe empresarial e do governo local. O lançamento da novidade está sendo costurado desde o início do semestre e foi comunicado, na segunda-feira, durante a reunião do governador Agnelo Queiroz com os secretários. O lançamento ocorrerá, às 19h, no Memorial JK.

O modelo adotado em Brasília será semelhante ao do governo federal, implementado durante a gestão de Luiz Inácio Lula da Silva. Popularmente conhecido como Conselho de Notáveis, o grupo será composto, entre outros, pelo cientista político Murilo Aragão; pela presidente da Associação Comercial do DF (ACDF), Danielle Moreira; pelo coordenador da Central Única das Favelas (Cufa-DF), Max Maciel; pelo reitor da Universidade de Brasília (UnB), José Geraldo; pelo presidente da Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/DF), Francisco Caputo; e pelo professor de geografia da UnB Aldo Paviani.

Os conselheiros serão divididos em grupos de trabalhos com o objetivo de repensar a cadeia produtiva local. Cada setor deverá se reunir periodicamente e elaborar propostas a serem encaminhadas para o Pleno do colegiado. Um comitê técnico, o Observatório de Equidade, será formado por representantes de órgãos de pesquisas a fim de dar embasamento aos estudos e programas. A coordenação geral ficará a cargo do secretário de Governo, Paulo Tadeu (PT).

Ações imediatas


O lançamento do conselho é uma das ações imediatas comunicadas por Agnelo ao seu secretariado. Na última segunda-feira, o governador reuniu todos durante quase três horas, na Residência Oficial de Águas Claras, a fim de anunciar as medidas para 2012 e cobrar saldo positivo para este ano (veja quadro ao lado).

Uma das atitudes do GDF será a adoção de medidas judiciais contra gestores que deixaram pendências em convênios firmados com o governo federal. “Há uma quantidade de convênios sem prestação de contas que é um negócio escandaloso”, disse Agnelo ontem, no Palácio do Buriti, na posse dos conselheiros de cultura. A falta de cumprimento das obrigações levou o CNPJ do GDF e de algumas secretarias a ficar com restrições para a contratação de novos convênios e o recebimento de verbas federais.

No entanto, em alguns casos, não será possível fazer a prestação de contas, em virtude da falta de documentos relativos aos contratos. A saída será acionar os responsáveis judicialmente. “Vamos tomar providências legais para liberar o CNPJ do governo e das secretarias”, justificou. O petista salientou que as ações vão ser direcionadas a ex-governadores e ex-secretários.

Fonte: Correio Web

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: