Ceilândia: Sol Nascente deverá ganhar a aprovação em ata do Conplan nesta terça

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Atualmente, cerca de um terço das famílias do Distrito Federal moram em áreas irregulares. Entretanto, dois condomínios horizontais deverão conseguir a aprovação em ata do Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do DF (Conplan), em reunião extraordinária nesta manhã. O Condomínio Alto da Boa Vista, em Sobradinho I,  e o trecho II do Condomínio Sol Nascente, em Ceilândia, terão a documentação completa para seguir rumo à regularização. Para a população poder acompanhar todo o processo, a Secretaria de Habitação (Sedhab) lançou  o site Regularizou, é seu, com todas as informações sobre os processos em andamento.


A aprovação  do Conplan é a penúltima etapa. Depois disso, faltará apenas a publicação pelo governador do decreto de regularização no Diário Oficial do DF. Um dos condomínios em questão, o Alto da Boa Vista, é um dos maiores do DF, com um total de 2.790 lotes. O processo de regularização começou em 1993, quando a proposta era de 15 mil lotes. 

Durante este período, 3.400 pessoas foram desapropriadas por estarem em Área de Preservação de Manancial (APM).  “Haviam três casas ocupadas que foram desconstituídas e as pessoas estão com o direito de construir na futura área de regularização. Os lotes que foram vendidos e não foram ocupados também vão ser realocados para a área. Não são todos os 3.400 porque não estavam todos vendidos”, conta Júnia Bittencourt, presidente da União dos Condomínios Horizontais e Associações de Moradores no DF.

O projeto urbanístico e o licenciamento ambiental começaram a ser aprovados com a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta, em  2007, firmado entre o GDF, o Ministério Público, o Ibama e com o empreendedor. Um decreto chegou a ser publicado no ano passado, mas o condomínio não conseguiu o registro em cartório porque não tinha a ata de aprovação do Conplan. A expectativa é que, agora, com a aprovação, o decreto seja republicado.
Fonte: jornal de Brasilia

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: